Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Posts Tagged ‘UEFA Champions League’

PostHeaderIcon Um Título, Duas Histórias

E o Real Madrid conseguiu sua décima primeira Liga dos Campeões da Europa ao bater o Atlético de Madrid nos pênaltis em Milão na Itália por 5×3 depois de um empate de 1×1 no tempo normal e na prorrogação. Pela diferença de estilos e mesmo de vida entre as duas equipes podemos definir a final com duas histórias muito distintas.

Para o Atlético de Madrid a frustração de sentir a terceira derrota em três finais disputadas é imensa. Mas dentro de suas possibilidades o time treinado por Diego Simeone consegue ser competitivo e renasceu no cenário internacional desde que o argentino assumiu o comando da equipe em 2011. Porém é preciso ver agora se Simeone permanece ou não no cargo, pois se fala que ele pode ir para a Inter de Milão. Creio que, se ele ainda tiver força mental para manter o pique da sua esquadra, ele pode continuar e manter o trabalho admirável que vem fazendo.

Claro que dentro de campo o time do Atlético não chega a encantar pela beleza. O que é compreensível pois o clube não possui os mesmos recursos financeiros que os seus maiores rivais (Barcelona e Real Madrid principalmente. No jogo final porém até penso que a equipe entrou muito retraída e assustada em campo o que se refletiu até o gol do Real Madrid feito em impedimento (discutível, pois é aquele lance de TV) por Sérgio Ramos. Só depois de estar perdendo de 1×0 que o time colchonero foi mais à frente, inclusive com a entrada do belga Carrasco que fez o gol de empate. real madrid bola parada

Porém o Real Madrid foi mais perigoso na maior parte do tempo, muito pelo seu maior número de jogadores talentosos como Bale, Kroos e Modric, suprindo um pouco a jornada apagada de Cristiano Ronaldo. Além disso Casemiro foi muito bem na proteção da defesa, confirmando sua boa temporada, que começou com o comando de Rafa Benítez e terminou com Zinedine Zidane sentado no banco de reservas.

Nesse ponto não dá para defender o Real e sua direção. A mentalidade continua extremamente perversa e objetiva. Ganhou (principalmente a Liga dos Campeões) fica; perdeu, vai embora. O ídolo francês que nunca tinha sido treinador conseguiu unir o grupo na virada do ano e, mesmo sem ter se provado ainda como um grande tático à beira do gramado, foi importante em manter o time espanhol vivo na sua competição preferida. Mas não dá para dizer que vitória foi na base do planejamento, tirando claro o financeiro.

Já dissemos aqui que a diferença financeira entre os clubes na Champions League faz a balança pender para certos lados e temos visto isso claramente nos últimos anos. Os gigantes espanhóis e o Bayern de Munique venceram as últimas edições do torneio, além do “novo rico” Chelsea que ganhou em 2012. Então não dá para não reconhecer o esforço do trabalho mais “braçal” do Atlético de Madrid. Porém, em termos de qualidade técnica, o décimo primeiro título do Real é justo e coroa quem investe na ofensividade dentro de campo.

Share Button

PostHeaderIcon O Local e o Gol

Um dos grandes clichês do futebol, quando chega a hora de um confronto eliminatório, é dizer que é melhor jogar a segunda partida em casa, podendo decidir a série perto de sua torcida. Porém, se analisarmos o que temos visto recentemente em vários jogos de torneios nacionais e internacionais, essa situação tem se mostrado bem falsa para dizer o mínimo.

Na Liga dos Campeões, pelo terceiro ano seguido o Bayern de Munique perde a partida de ida das semifinais e tudo indica que novamente terá muitas dificuldades para poder reverter um placar adverso. Depois de ser derrotado pelo Real Madrid e pelo Barcelona, agora o time alemão perdeu para o Atlético de Madrid por 1×0 e não deve ser fácil para os comandados de Guardiola poderem mudar a situação.

Em condições diferentes claro, mas na Libertadores vimos alguns times que fizeram campanhas piores na primeira fase conseguirem reverter a suposta desvantagem e vencerem os jogos de ida. O São Paulo goleou o Toluca, o Táchira da Venezuela venceu o Pumas do México e o Independiente Del Valle derrotou o atual campeão River Plate. Isso sem contar o fato de alguns empates em 0x0 terem acontecido tanto no torneio europeu quando no Sul-Americano. independiente del valle river plate bola parada

Penso que esse formato de gol fora de casa permite algumas distorções como no fato de quem empata o primeiro jogo em casa sem gols se sente até de certa forma confortável; foi o que aconteceu com o Manchester City no jogo contra o Real Madrid. Depois de sofrer uma pressão por parte do time espanhol no fim da partida, os ingleses consideraram um bom resultado o empate em zero dentro de seus domínios.

Mas fundamentalmente falando sobre “fazer a primeira em casa”. Pode-se entender que a expectativa de resolver a classificação em casa é mais confortável, mas isso pode não acontecer sempre necessariamente. Muitas vezes é melhor jogar a primeira em seus domínios e poder assim reverter uma situação de adversidade. Portanto é algo que sempre será discutível saber onde é melhor atuar no primeiro confronto. Mas cada vez mais fica claro para mim que essa regra de “gol qualificado” é algo que poderia não existir mais.

Share Button

PostHeaderIcon Sobre a Champions no EI – A Transmissão

Agora com mais tempo pude ver com mais detalhes a forma de transmissão dos canais Esporte Interativo (os canais EIMAXX) na Liga dos Campeões da Europa. Não consegui assistir com muita precisão o que foi feito no começo da competição pois não tinha os canais em casa e não assinei o sistema de transmissão pela internet (o EI PLUS) – que, para quem possui, têm sido muito criticado pela sua qualidade – então me privei de ver a primeira fase em praticamente sua totalidade.

O que me recordo de falar é que a propaganda que faziam de transmitir “todos os jogos” era um pouco falha pois, nos canais normais, a maior parte das partidas transmitidas eram aquelas envolvendo os times de maior torcida aqui no Brasil, o que não é diferente do que a ESPN já vinha fazendo nos últimos anos. Eles passam todos os jogos, se você comprar o pacote para a internet, sempre bom deixar claro; mas dessa qualidade não posso falar muito. Os canais ESPN inclusive faziam boa cobertura em termos de análise dos jogos, mas em termos estruturais o EI me surpreendeu.

Agora nos jogos das oitavas-de-final me impressionou a extensão do pré-jogo do canal. Desde as 10 da manhã se fala de Champions com repórteres nos locais das partidas; as imagens estão boas (acabou aquela era do “streaming mal feito” com o dinheiro da Turner) e a atenção ao torneio, além da presença dos profissionais nos locais dos jogos são fatores para serem valorizados. Porém a extensão dessa preparação para as partidas é um pouco longa demais. Muitas matérias repetidas entre a manhã até o início das pelejas propriamente ditas; além disso, os outros assuntos do esporte (principalmente do futebol) ficam meio esquecidos. Como são 2 canais EIMAXX agora, poderiam dar uma balanceada no conteúdo que fica meio maçante. Entendo a importância da UCL e a cobertura que querem dar à competição, mas um equilíbrio seria interessante. uefa champions league esporte interativo bola parada

Sobre a transmissão em si acho um pouco chato, depois de um pré-jogo tão extenso e não falarem nada sobre o assunto, usarem o horário de transmissão de jogo para fazerem propaganda dos acordos com os clubes para a exibição de jogos do Brasileiro a partir de 2019. Entendo que é o momento de maior audiência e visualização, mas penso ser um pouco contraproducente parar uma narração no meio para se autoelogiar de forma constante. (A respeito desse assunto, ainda voltaremos ao tema…)

Sobre a narração em si; eu não gosto do estilo do locutor principal da emissora, muito exagerado e com uma fixação em citar e imitar o Galvão Bueno que beira a chatice. Ele até não é propriamente ruim, mas de fato irrita. Acho que poderiam investir mais em outros nomes para a locução e também para os comentários, ainda que os principais da casa (Vitor Sérgio e Bruno Formiga) tenham boa qualidade. Os ex-jogadores Sávio e Zico não acrescentam muito a meu ver, estão na média comum dos boleiros que já estão por aí na mídia.

Em resumo, a transmissão dos canais Esporte Interativo está melhor do que eu imaginava em termos estruturais e isso é um mérito claro do dinheiro de seu novo parceiro, e isso não é uma crítica necessariamente. A abrangência de reportagens está interessante, ainda que os times mais midiáticos continuam com espaço destacado (aliás a Globo e a Bandeirantes mais uma vez priorizaram o Barcelona ao invés do jogo mais emocionante das oitavas, Bayern x Juventus). Mas o canal ainda precisa colocar mais gente de qualidade para a análise dos jogos, além de variar um pouco o ritmo de matérias antes e depois das partidas.

Vendo o que o Marco analisou a algumas colunas atrás, o canal melhorou de sua situação de algum tempo atrás, mas precisa ainda precisa percorrer um caminho para ser mais levado à sério.

Share Button

PostHeaderIcon Os Fiascos da Champions

Acabou a fase de classificação e de grupos da UEFA Champions League. Diferentemente de outros anos, vou falar um pouco sobre o que vimos no torneio antes mesmo do sorteio das oitavas de final pois algo chamou muito a atenção. Não que seja algo novo mas que ficou ainda mais claro nessa competição.

A Champions League é sempre vista como a “nata” do futebol internacional, o maior torneio interclubes do mundo. Mas mesmo com todo esse cartaz não podemos ficar alheios a um grande desnível que temos visto nos últimos tempos. Claro que os clubes mais endinheirados dominam o mercado e, consequentemente, a própria competição. Temos visto um predomínio nos últimos anos de Barcelona, Real Madrid e Bayern de Munique que, mais uma vez, pintam como grandes favoritos ao título. Além deles Manchester City, Chelsea e PSG são candidatos a surpreenderem, devido muito à injeção financeira que tiveram de algum tempo para cá. Nada que fuja muito ao padrão recente do futebol. manchester united bola parada

Porém o que me deixou mais espantado é a falta de força de times que, em tese, poderiam chegar na disputa com mais força e que fizeram pouco, ou nada, como é o caso do Manchester United que foi desclassificado na primeira fase. E aí não podemos apenas dizer que o problema é a falta de dinheiro. O time inglês gastou muito para montar uma equipe para voltar a brigar pelo título, e isso não ficou nem perto de acontecer. O Valência, que acabou de ser comprado por um bilionário tailandês, ficou pelo caminho ao ser ultrapassado pelo modesto Gent da Bélgica. Com menos potencial financeiro, mas também com uma perspectiva de ao menos ir mais longe na competição, o Porto decepcionou e ficou fora das oitavas de final ao ser eliminado pelo Dynamo de Kiev.

Mesmo times que se classificaram também decepcionaram; Roma e Arsenal, que ainda não venceram a UCL e sempre são criticados por suas “entregadas” em diversas oportunidades, conseguiram avançar, mas com desempenhos bem discutíveis. O time italiano fez a pior campanha de um classificado para as oitavas em toda a história da competição neste formato atual (apenas 6 pontos e saldo de gols negativo). A equipe inglesa conseguiu novamente a vaga, mas também novamente em segundo lugar e levando uma goleada do Bayern e sem maiores perspectivas de título, analisando bem friamente para o futuro.

Isso mostra que o nível da competição, em alguns momentos, é inflado para cima pela presença de alguns grandes times, mas a qualidade nem sempre é compartilhada por todos. Vamos ver se, na fase de mata-mata, as grandes equipes fazem jus a todo “glamour” da disputa.

Share Button

PostHeaderIcon Era Óbvio…

Depois de negar por muito tempo (veja AQUI ou AQUI) e após três rodadas da fase de grupos da UEFA Champions League, o Esporte Interativo e o Grupo Turner resolveram liberar a transmissão de partidas do interclubes europeu em outros canais pertencentes ao mesmo grupo. Alguns jogos desta rodada serão transmitidos no Space e na TNT. É uma decisão lógica, mas que vem com algum atraso.

Era bem claro, ao analisarmos que o imbróglio entre Turner x operadoras não iria se resolver tão rapidamente, que algumas partidas poderiam ser exibidas em outros canais, até mesmo para furar o chamado bloqueio das “malvadas” NET e Sky. Era o óbvio a se fazer e já deveria ter sido feito antes…Isso se o grupo que detém os direitos para transmitir a UCL pensasse apenas no bem das pessoas que querem ver as partidas. Como tudo é um negócio que envolve muito dinheiro, pensaram apenas por último na chance da maioria poder ver as partidas.

Tanto é um negócio que a Turner deve ter visto que a competição foi solenemente ignorada por outros canais esportivos em suas primeiras rodadas com os grandes clubes. O Sportv mal falou do torneio. A ESPN na primeira rodada noticiou apenas o necessário; só depois de algumas reclamações é que abriu mais espaço em seus intermináveis programas de “bate-bola”. Só o Bandsports tem dedicado o mesmo espaço que fazia anteriormente, exibindo todos os gols em seu noticiário noturno. Sendo assim a Turner se viu com um belo prato, mas sem nenhum restaurante para servi-lo ou nenhum espaço para divulgar a sua iguaria. tnt space bola parada

Esse é um jogo de queda de braço que não leva a lugar nenhum. Em termos de divulgação temos os outros canais não fazendo jornalismo na maioria dos casos, noticiando apenas aquilo que os interessa, não o que o telespectador necessariamente quer ou o que é relevante de fato. Do lado do EI temos uma supervalorização do torneio, até porque é um dos poucos que ele pode transmitir. E do lado do Grupo Turner, vimos uma intransigência que não resolveu em nada o problema. Enquanto isso a maioria das pessoas foi alijada de chance de ver a maioria das partidas.

Para ser justo a maioria ainda continuará sem ver uma maior variedade de jogos. Barcelona e Real Madrid serão mais uma vez privilegiados nessas transmissões “excepcionais” nos canais de filme da Turner. Sendo que o jogo do Barça contra o Bate Borisov já será exibido na Bandeirantes na quarta-feira, quem quiser ver, por exemplo, Bayern de Munique x Arsenal, terá ainda de recorrer à internet. Mas esse é aquele componente que já discutimos algumas vezes aqui; o excesso de “grife” de alguns clubes e o pensamento de emissoras que acham que as pessoas se interessam mais por um ou outro jogador do que pelos jogos em si. Elas até têm uma dose de razão, mas penso que o melhor jogo, seja de quem for, deveria ser privilegiado.

Não é a solução ideal, mas era mais do que óbvio e necessário que os jogos da UCL fossem exibidos para mais gente e a Turner tinha essa possibilidade. Vamos ver se continuam com essa política e não apenas usem os telespectadores como “massa de manobra” para uma decisão comercial.

Share Button

PostHeaderIcon Sobre a Champions “Clandestina”

Nesta semana começa a fase de grupos da UEFA Champions League. Uma fase de grupos meio “clandestina” para o grande público brasileiro já que a competição, em termos de TV por assinatura, será transmitida apenas pelo Esporte Interativo que não está nas principais operadoras . Na TV aberta, na Bandeirantes e na Globo, provavelmente continuaremos a ter o festival de Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo, com transmissões jogos do Barcelona e do Real Madrid tendo prioridade. Ou seja, para quem não torce para os gigantes espanhóis, não tem o canal da Turner em sua TV e não gosta de ver jogos pela internet, essa Champions pode ser praticamente “invisível”.

O Fernando nos deu a sugestão de falarmos sobre ESTA entrevista do diretor de conteúdo do Esporte Interativo ao site Trivela. Eu já fiz um texto a respeito AQUI a pouco tempo e mantenho tudo que escrevi. Mas vamos pontuar então alguns detalhes. uefa champions league esporte interativo bola parada

As operadoras boicotam de certa forma o EI e é um boicote burro pois dá a chance do canal posar de vítima da história, mesmo não sendo. O EI É uma empresa que cresceu (pois hoje é da Turner) e quer lucro com a venda de assinaturas. A culpa do “não-acordo” é das duas partes e o assinante em geral é o maior prejudicado, pois ficar vendo jogo pela internet não é algo que agrada a maioria, ainda mais tendo de pagar algo a mais do que a própria assinatura da TV.

Sobre a entrevista em si: Essa coisa de apelar para a “emoção” na transmissão é algo que não cola, pelo menos com quem é fã do jogo em si e não “torcedor de canal”. Entendo que é um estilo e têm gente que gosta de um narrador berrando e soltando piadinhas toscas durante o jogo, assim como propagandas de torpedo de celular, mas penso que a maioria que quer ver futebol como um todo não é tão chegado nisso (os comentários da entrevista no Trivela mostram isso…).

Chama a atenção a postura do EI em não passar os jogos em algum outro canal do Grupo Turner (Space, TNT por exemplo). Penso que, além de dar um “tapa de pelica” nas “malvadas” (para eles) operadoras, atrairia a simpatia de quem ficou alijado de ver as partidas. Mas como em qualquer NEGOCIAÇÃO EMPRESARIAL, o pessoal do EI/Turner está pensando no lado deles; assinante, telespectador é só um detalhe (já falamos isso aqui…).

Até compreendo que o canal não divida a transmissão da UCL com outra emissora. Eles compraram e têm esse direito. Só penso que o sistema de licitação da UEFA deveria contemplar essa possibilidade e tentar expandir a venda para mais de uma emissora, caso seja possível…

*****

Mesmo assim vamos registrar aqui os grupos da competição e fazer breves comentários a respeito dos possíveis favoritos para o título:

GRUPO A: PSG, REAL MADRID, SHAKHTAR E MALMO
O time francês tem uma base formada, mas que continua a ser desequilibrada em alguns setores; trouxe mais um reforço de peso e valor altíssimo (Di Maria), mas continua sem ter um outro jogador para controlar o jogo no meio campo além de Verrati. Além disso ainda depende muito da inspiração de Ibrahimovic para resolver as partidas. O Real Madrid, depois da novela da NÃO contratação de De Gea, não fez uma aquisição de grande impacto midiático nessa janela, mas se reforçou bem com Danilo e Kovacic para se juntar a um elenco já muito forte. O Shakhtar, com sua legião de brasileiros, pode tentar roubar algum ponto dos dois favoritos, mas assim como os suecos do Malmo não devem ser páreo para a classificação. PALPITE: REAL MADRID E PSG

GRUPO B: PSV, MANCHESTER UNITED, CSKA MOSCOU E WOLFSBURG
O Wolfsburg fez uma grande temporada passada e foi vice campeão alemão dando trabalho, na medida do possível ao Bayern. Porém vendeu algumas de suas peças principais (De Bruyne e Perisic). Mesmo assim mostra-se forte para ao menos buscar vaga para as oitavas de final. O Manchester United voltou à Champions depois de uma temporada de ausência. Se reforçou no meio campo com Schweinsteiger e no ataque com Depay (o tirando do PSV), mas ainda se ressente de um grande zagueiro para fechar o elenco. O CSKA costuma complicar quando joga em Moscou, mas não tem feito grandes campanhas recentemente. O PSV é um time que joga no estilo ofensivo holandês, mas de modo geral assim como os outros clubes do país, estão um passo atrás quando se trata de competições europeias. PALPITE: MANCHESTER UNITED E WOLFSBURG

GRUPO C: BENFICA, ATLÉTICO DE MADRID, GALATASARAY E ASTANA
Simeone continua dando as cartas no time madrilenho que perdeu Miranda e Mandzukic, mas trouxe Jackson Martínez e Filipe Luís de volta. Continua sendo um time difícil de ser batido, mas que muitas vezes joga no limite físico, o que sempre é um risco dentro de um elenco não tão grande quanto o dos rivais. O Benfica perdeu seu treinador Jorge Jesus, mas mantém uma base com Jonas como destaque. O Galatasaray é irregular e ainda perdeu Felipe Melo e Alex Telles, que eram importantes dentro da equipe. Porém pode brigar com o Benfica pela segunda vaga. O Astana é a grande zebra não só do grupo, mas da competição. PALPITE: ATLÉTICO DE MADRID E GALATASARAY

GRUPO D: JUVENTUS, MANCHESTER CITY, SEVILHA E BORUSSIA MONCHENGLADBACH
Grupo mais equilibrado desta fase. O Manchester City, mesmo perdendo a primeira partida, parece finalmente com um elenco mais completo para poder fazer bonito no torneio continental. Arrebentando as regras do já esquecido Fair Play Financeiro (assim como o PSG), o time inglês trouxe Sterling, mas principalmente Otamendi e De Bruyne, reforços que qualificam muito o time. O bom início no Campeonato Inglês faz com que a equipe de Pellegrini não tenha mais muitas desculpas para um novo fracasso continental. A Juventus continua com um elenco forte, com as chegadas de Hernanes, Mandzukic, Dybala e Khedira. Mas as perdas de Pirlo, Vidal e Tevez estão sendo sentidas nesse começo de temporada. O Sevilha quer deixar de ser o “leão de Liga Europa” para poder ir bem na UCL. A equipe perdeu seu artilheiro Bacca, mas trouxe Llorente da própra Juventus para tentar uma substituição à altura. O Borussia, treinado pelo francês Lucien Favre, joga um futebol ofensivo e tem dado trabalho nas últimas edições da Bundesliga. PALPITE (COM RECEIO): MANCHESTER CITY E JUVENTUS champions league bola parada

GRUPO E: BARCELONA, BAYER LEVERKUSEN, ROMA E BATE BORISOV
Devido as restrições por conta de uma punição da UEFA, o Barcelona não poderá usar as contratações que fez para essa temporada nessa fase grupos. Assim sendo, Arda Turan e Aleix Vidal só estrearão nas oitavas de final, fase em que ninguém espera que o time espanhol esteja de fora. O time continua muito forte com seu grande ataque mantido e mais entrosado. A Roma continua contratando muito e tentando jogar um futebol atrativo, mas ainda não tem uma equipe confiável. O Bayer Leverkusen tem uma equipe jovem e com destaque para o turco Calhanoglu pode roubar a vaga dos italianos. O Bate Borisov deve ser coadjuvante mais uma vez. PALPITE: BARCELONA E BAYER LEVERKUSEN

GRUPO F: BAYERN DE MUNIQUE, ARSENAL, OLYMPIACOS E DYNAMO ZAGREB
Mesmo sem Schweinsteiger, o time alemão continua muito forte e com condições de finalmente conquistar a competição sob o comando de Guardiola. A contratação de Vidal pode repor a saída do ídolo alemão e com muitas opções táticas, os bávaros continuam com uma grande equipe. O Arsenal permanece com Arsene Wenger e seus jovens, com um futebol de toque de bola e qualidade, mas que é pouco efetivo nas grandes competições. Ainda se ressente de uma referência no meio campo e no ataque para brigar verdadeiramente pelo título. O Olympiacos pode ser o fiel da balança no grupo, podendo roubar pontos em Atenas, mas não deve brigar pela vaga, assim como o Dynamo Zagreb. PALPITE: BAYERN E ARSENAL

GRUPO G: CHELSEA, PORTO, DYNAMO KIEV E MACCABI TEL-AVIV
Apesar de não viver um grande momento o Chelsea teve felicidade no sorteio ao não pegar um grupo muito complicado. O time de Mourinho se ressente de mudar a forma de jogar e não tem um elenco tão grande. As contratações de Falcao Garcia e do brasileiro Kennedy não parecem resolver esse problema. O time não tem muitas opções nas laterais e mesmo no ataque para mudar uma partida. O time titular é forte, mas parece desgastado. Mesmo assim a equipe inglesa deve se classificar em um grupo em que o Porto, agora com Casillas, é o adversário mais forte. É uma equipe treinada pelo espanhol Lopetegui que gosta de uma formação ofensiva. Dynamo Kiev e Maccabi Tel-Aviv devem brigar pela vaga na Liga Europa.PALPITE: CHELSEA E PORTO

GRUPO H: ZENIT, VALÊNCIA, LYON E GENT
Grupo com cara de Liga Europa. O Valência, que veio da fase preliminar eliminando o Mônaco, mas não se destacou ainda como força na Europa. Porém dentro dessa chave tem chance de se classificar. O Zenit de Hulk e do técnico André Villas-Boas se firmou como potência na Russia, mas ainda não conseguiu também se destacar na Champions, assim como o Lyon que vem de uma temporada de ressurreição na França, mas ainda longe dos tempos de Juninho Pernambucano. O Gent fica como “fiel da balança” da chave mais nivelada. PALPITE: VALÊNCIA E ZENIT

Share Button
1 2 3 4 »

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...