Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Posts Tagged ‘Mundial de Handebol Feminino’

PostHeaderIcon Hipocrisia Dupla

A Seleção Brasileira Feminina de Handebol venceu o Mundial Feminino da categoria ao bater a Sérvia na casa da adversária. Foi um feito histórico mas não tão inesperado devido ao bom desempenho recente da seleção em grandes competições. No Mundial de 2011 em São Paulo e nas Olimpíadas de Londres ano passado o time mostrou grande evolução. Não sou um especialista na área, mas é bem claro que a presença de um técnico estrangeiro, no caso o dinamarquês Morten Souback, e o fato da maioria das jogadoras da Seleção atuarem na Europa fez com que a equipe evoluísse de forma bem interessante. brasil handebol feminino bola parada

Dito isso é bom que fique bem claro que esse título não é “nosso” ou do Brasil, como se isso fosse algo próximo de uma apropriação. O brasileiro, de modo geral, gosta de fazer com que as glórias de muitos esportistas se tornem suas. Ao contrário, quando algum atleta não vence ou fracassa em qualquer modalidade, nós temos o hábito de rotular ou até ridicularizar a partir de um resultado negativo, coisa que pode acontecer com qualquer atleta de qualquer país.

Outro hábito bem brasileiro é o desprezo por qualquer modalidade que não seja o futebol. Em relação ao handebol, já tratei desse assunto neste TEXTO. Até semana passada a maioria dos canais esportivos que não transmitiram o Mundial relegaram ao décimo plano a cobertura do torneio. Com o título deste domingo, a coisa mudou completamente. Até em programas claramente voltados ao futebol, como o Bate-Bola da ESPN Brasil, houve um espaço grande dedicado à modalidade antes desprezada. Bato nesta tecla pois a já citada ESPN, o Sportv e o Fox Sports tinham como pelo menos dar mais atenção a este Mundial, já a mais tempo. Preferiram esconder o torneio, já que não tinham direitos de transmissão. Portanto, para mim, ficar fazendo muita festa agora cheira à hipocrisia.

O Esporte Interativo, como já tinha dito no outro texto, merece os parabéns pela cobertura. Ao comprar os Mundiais Feminino e Masculino a algum tempo mostrou intenção de acreditar na modalidade. Pode até ser um pouco criticado por não ter dividido os direitos para os concorrentes, mas pensando em termos capitalistas e no frio terreno da briga entre as emissoras, fez o certo ao valorizar a sua própria transmissão. Só fica estranho nesse sentido, alguém depois vir criticar apenas a Globo por ser “monopolista”…EI bola parada

Mas o que me incomodou no EI nesse caso do handebol, é o uso do esporte para continuarem com a choradeira pelo fato de não entrarem nas operadoras de TV por assinatura Sky e Net. Até mesmo o Juca Kfouri deixou de lado o futebol (e o Corinthians) em seu blog para fazer propaganda para que o “pobre” EI pudesse ser mais visto. Não duvido que as operadoras façam jogo duro para a inclusão do canal. Mas não é possível ver o canal como “santo” nessa história principalmente depois de ler este TEXTO, escrito pelo Marco no começo do ano no site Tevezona. É bom dizer que ele esperou a resposta do pessoal do canal sobre este assunto e ninguém se dispôs a atendê-lo; ou seja, no mínimo podemos suspeitar que o EI trabalhou com a Claro nessa questão da Copa do Nordeste. Pensando novamente em termos capitalistas, Sky e Net possuem alguns motivos para não acreditar no EI como parceiro.

Mesmo em um momento de título esportivo não nos vemos livres de diversos atos de hipocrisia por parte da mídia. E acho que não devemos deixar que isso passe em branco, aceitando tudo que nos é passado. O EI só “vendeu emoção” com a transmissão do handebol pois possuía os direitos. Se não os tivesse preferiria exaltar a NFL, ou mesmo o Futebol de 7, caso estivesse passando. Quem ficou de fora da festa, agora tenta entrar, embarcando na onda. O jeito é ver tudo que acontece com certa distância, valorizando os momentos e se emocionando por si só e não apenas pelas palavras muitas vezes vazias de quem transmite.

Share Button

PostHeaderIcon O Jornalismo Seletivo

Não gosto de muitas coisas no canal Esporte Interativo. Acho o estilo de abordagem do canal sobre muitos assuntos bem superficial e infantiloide. Não gosto de alguns profissionais que trabalham por lá, que parecem às vezes querer impor suas opiniões na base do grito e da falsa polêmica. Além disso o canal tem um DNA de “emissora de televendas” que prejudica muito a percepção das pessoas sobre o EI, que acaba não sendo levado a sério como poderia. Mesmo assim não tenho problema em reconhecer as boas iniciativas feitas por lá, quando elas acontecem. brasil handebol feminino bola parada

Um exemplo recente é a cobertura do Mundial de Handebol feminino que está sendo realizado neste fim de ano com o EI transmitindo com exclusividade. Apesar do tom extremamente ufanista quando dos jogos do Brasil (já tratei desse ufanismo no jornalismo esportivo neste texto), penso ser interessante o espaço dado para outros esportes (fora do futebol) não apenas na hora do “filé”, que para essas modalidades se dá no momento da Olimpíada. Além disso, para o EI que sofre com a falta de grandes eventos, é uma alternativa interessante de transmissão.

Mas o que tem me chamado a atenção é o completo desprezo por parte dos outros canais sobre a competição, que não é uma qualquer, é um Mundial. Além disso, o Brasil vem aparecendo bem no torneio e tem boas chances de conseguir um bom resultado, inédito na modalidade. Por parte da TV aberta já é até esperado esse péssimo tratamento a qualquer coisa que não seja futebol; a indigência na cobertura é algo corriqueiro. Me espanta porém é o desprezo por parte dos outros canais esportivos.

Não estou aqui dizendo que ESPN, FOX Sports e Sportv devessem cobrir de forma ostensiva uma competição da qual não possuem os direitos de transmissão. Nem também farei aqui o papel de “defensor” do EI, até pelas críticas que já fez ao canal e por achar que, se estivessem na situação oposta, possivelmente fariam a mesma coisa. Mas esse estilo “seletivo” de jornalismo que se faz presente num momento de briga acirrada por direitos de transmissão, me deixa extremamente receoso sobre algumas posturas.

Raros são os casos em que vemos uma emissora, a partir do momento que possua os direitos de algum campeonato, fazer críticas à organizadora da competição. A partir do momento em que isso não ocorre, quando tentam esconder os defeitos que muitas vezes saltam aos olhos, vemos que não existe aquela imparcialidade que muitos apregoam possuir. E aí penso que não existe “santinho” nessa história. Todos parecem mais preocupados em defender seus interesses e os interesses de quem os patrocina.

Soma-se a isso as atrações de gosto duvidoso que são oferecidas pelos canais esportivos, em detrimento de uma de bom nível, como esse Mundial de Handebol. Inúmeros torneios de pôquer, futebol de 7, “showbol” e outros menos votados são jogados em nossas TVs sem que aconteça uma seleção de qualidade do que é exibido. Parece que o que conta é ocupar horário e satisfazer alguns poucos organizadores endinheirados. Com isso no ar, é fácil dizer que você está fazendo “esporte 24 horas”.

Penso que tudo que é relevante merece espaço, de forma isenta e responsável. Os direitos de cobertura não deveriam determinar, de forma única, o quanto você deve liberar de tempo para alguma modalidade que demanda interesse ao público. Mas infelizmente esse cenário não deve se alterar tão cedo, o que conta é a seletividade do interesse financeiro, que faz com que o jornalismo também se torne algo bem variável e com várias verdades, o que é uma pena.

Share Button

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...