Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Posts Tagged ‘FOX Sports’

PostHeaderIcon Informação e Sonegação

Com o passar do tempo e mais experiência na vida, deixamos de ser muitas vezes iludidos e vemos algumas coisas mais claramente. Por exemplo, o que se convenciona chamar de jornalismo nem sempre é algo que noticia aquilo que é mais relevante ou mais desejado pela maioria. Quando faz isso não é necessariamente por interesse público ou interesse DO público (o que é bem diferente) e sim por razões meramente comerciais.

Causou bastante repercussão a decisão da Globo em praticamente ignorar a partida de despedida de Rogério Ceni no São Paulo, disputada na última sexta. O assunto foi praticamente sonegado tanto da emissora aberta, quanto do seu canal fechado (Sportv) e do seus sites na internet. O tema só voltou à pauta depois da realização do jogo-despedida, que foi transmitido com exclusividade pela FOX Sports, numa cobertura ostensiva durante todo o dia. No fim das contas, penso que os dois lados estão um pouco certos e um pouco errados. canais-transmissão-bolaparada

A FOX, por não ter tantos eventos paralelos ao futebol, supervaloriza os torneios que transmite (Libertadores e Sul-Americana principalmente). É algo compreensível, mas que pode causar uma certa repulsa de quem quer ver outras coisas, o que possivelmente ocorreu para quem NÃO queria assistir ao jogo de despedida do são-paulino. A cobertura foi bem completa, mas pendeu um pouco a um certo exagero, como por exemplo colocar o famigerado selo “AGORA-EXCLUSIVO” na tela a todo momento durante a partida. Ora, se estou vendo o jogo teoricamente já sei que está sendo exibido apenas lá! Mais do que tentar ressaltar essa exclusividade a todo momento, seria melhor se preocuparem mais em qualificar o canal como um todo, tanto na parte técnica, quanto na contratação de bons profissionais.

No caso da Globo/Sportv até compreendo o fato de não querer falar tanto de algo que não será transmitido por eles; mas daí a sonegar algo de quem assiste a sua programação eu não considero certo. Não é só a Globo que faz isso, sabemos bem. Mas também sabemos que tudo que o canal líder de audiência faz tem uma repercussão maior. O pior é que, ao mesmo tempo em que pouco falou da despedida de um jogador de futebol tão relevante à história do esporte no país, o canal continua a tentar “empurrar” o campeonato automobilístico de Stock Car, que é tecnicamente discutível e que não tem a mesma relevância para a maioria das pessoas. Isso sem falar do UFC, que virou moda por aqui recentemente muito pelo sucesso de alguns brasileiros em algumas categorias.

O hoje apresentador de “entretenimento” Tiago Leifert, que ficou com a pecha de ter infantilizado o jornalismo esportivo (até um pouco injusta, já que não foi apenas ele que deu esse tom engraçadinho à cobertura esportiva) deu uma ENTREVISTA certa vez falando que existem os tais direitos de transmissão e que ele não iria noticiar algo que a Globo não transmite. Não defendo uma “pauta única” em todos os canais, seja qual for o assunto, mas penso que a divulgação da informação deveria ser mais valorizada e não apenas usada como moeda comercial para quem detém os direitos sobre determinado evento. Acho que o que é de interesse DO público não é sempre garantia de qualidade, mas algo relevante e que atrai de fato a atenção deve ser mais bem relatado.

*****

star wars espn bola paradaPorém fica meio complicado querer algo mais próximo do que chamamos de JORNALISMO de fato em nossas TVs esportivas se temos exemplos que vão completamente ao lado oposto disso. Ainda estou para entender qual a relação (além da comercial é claro) da ESPN tentar colocar a toda hora alguma coisa relacionada ao filme Star Wars (Guerra nas Estrelas) no meio da programação. É vinheta, inserções no meio de programas ditos (olha aí!) jornalísticos, inclusive com participações constrangedoras dos participantes das atrações. Tudo bem a Disney ser parceira do projeto, existem muitos “fãs do esporte” que são fãs do “videogame cinematográfico” que terá outra edição sendo lançada recentemente, mas não vejo nenhuma necessidade dessa forçada de barra tão exagerada.

*****

globo olimpíadas 2 bola paradaA Globo renovou os direitos de transmissão das Olimpíadas até a edição de 2032. Não é novidade isso e mostra que, mesmo com erros, é talvez a única emissora com real interesse (e condição financeira claro) em fazer um trabalho mais constante na cobertura olímpica. Ainda que não dê o espaço correto e necessário em TV aberta, ao menos no Sportv existe um acompanhamento um pouco mais detalhado. Mas o fundamental é que a “emissora do esporte olímpico no Brasil” nem chegou perto de obter ou mesmo querer tamanho privilégio. Talvez agora o esporte na Record se concentre nas provas da Fazenda…

*****

Sobre o Rogério Ceni já fiz um post sobre ele a dois anos atrás, depois de uma atuação espetacular contra o Universidad Católica do Chile. Acho que ele continua valendo. Veja AQUI.

Share Button

PostHeaderIcon Telespectador é só um Detalhe

O que eu vou escrever neste texto não é novidade alguma. O Marco, quando tinha o blog Tevezona (que faz falta aliás), já tratou algumas vezes sobre o tema. Mas ontem tivemos uma prova ainda mais concreta de uma verdade que é cada vez mais clara. Ainda que hoje em dia tenhamos “torcidas de emissoras de TV” no twitter, facebook ou outras redes sociais, as emissoras de televisão, de modo geral, estão pouco se lixando para o prezado telespectador.

Ontem tivemos o início do Campeonato Alemão que agora tem os direitos divididos entre ESPN e FOX Sports. Como o jogo de abertura entre Bayern de Munique e Hamburgo teve a transmissão feita pela FOX, tiveram a “luminosa” ideia de transmitir a peleja em praticamente TODOS os canais do grupo. Com isso o FOX Sports 2, a FOX e o FX (esses dois últimos que normalmente transmitem filmes) também exibiram a partida. Até aí podemos discutir se a ideia é exagerada (ou idiota), mas tentando ver pelo lado positivo é uma forma de valorizar o evento que adquiriram. foxsports1

Porém ao mesmo tempo em que transmite o torneio alemão, a FOX também mostra o Campeonato Inglês. E ontem havia um jogo previsto para a transmissão da “Raposa Esportes”, Aston Villa X Manchester United. Diante da decisão de mostrar o jogo do Bayern em 387 canais, o jogo inglês simplesmente não foi exibido. Foi jogado para um VT à noite, sem maiores justificativas por parte do canal. E é isso que incomoda mais.

Se alguém da FOX tivesse vindo à público e dissesse que a estreia do Alemão era importante, que a compra do torneio foi feita em escala mundial e que era importante para a empresa essa “super cobertura” não resolveria, mas ao menos daria uma noção do respeito que ela deveria ter com o assinante. Porém nem isso tiveram a decência de fazer. Ignoraram solenemente os protestos dos adeptos dos times ingleses.

Enquanto isso continuam a pedir a “claque” para que participe das transmissões e mandando abraços. No entanto essa participação do “fã do esporte” só é notada quando é para jogar confete na emissora. E aí não falo só da FOX. Todas são basicamente iguais nessa forma de desprezar toda e qualquer forma de crítica, mesmo aquela que é construtiva ou pertinente. Não dá realmente para engolir essa interatividade que só funciona quando é a favor.

*****
Em alguma das minhas última colunas aqui critiquei o Esporte Interativo por não avisar claramente que a Liga dos Campeões não será exibida pelo canal em sua forma de TV aberta. Depois disso (não sei se depois de lerem algo aqui…) finalmente fizeram um anúncio deixando mais claro o que será exibido nas parabólicas. E aí vemos que o canal conseguiu a cereja (Champions League), mas não tem o bolo. Série D (passando quase que só jogos do Remo) e alguns genéricos do UFC são muito pouco para preencher uma grade de programação no fim de semana. A coisa melhora um pouco com a volta da NFL, mas mesmo assim o vazio permanece. Talvez se (e dá para colocar alguns “se” aí…) o grupo Turner conseguir o Campeonato Inglês para a próxima temporada a coisa possa melhorar um pouco (falando aí para quem gosta de futebol…). esporte interativo nordeste bola parada

Chamam a atenção também as mudanças estéticas dos cenários do canal. E é incrível como a “criatividade” de formatos é limitada por aqui. Para os programas de pré-jogo parece que pegaram um cenário antigo do Bate-Bola da ESPN lá dos idos de 2008. Para o Jogando em Casa colocaram o já tradicional “sofá da Hebe”, também muito usado na ESPN (se inspiram bastante por lá pelo visto…) e no Seleção Sportv.

Claro que o cenário é mais um detalhe, citei apenas por curiosidade. O que chama realmente a atenção é a semelhança dos programas e aí cito as 4 principais esportivas (o Bandsports vive em estado de hibernação quase que constante…). Entrevistas coletivas (as do Tite então são quase que feitas em “cadeia nacional de transmissão”) aos montes, debates pseudo-engraçadinhos, espaço quase que somente dedicado ao futebol…E pouca discussão real sobre o esporte nacional. A Olimpíada poderia vir a ser um fator para mudar o quadro, mas não me parece ser o caso.

Mas ai do telespectador que reclamar disso. Ou será ignorado ou “bloqueado” por algum jornalista valente no twitter. São quase entidades, não aceitam críticas na sua grande maioria. O observador de casa que quer falar alguma coisa, mesmo que de forma pertinente, é só um detalhe.

Share Button

PostHeaderIcon Direitos Divididos, Notícias Pela Metade

O jornalismo pode usar diversas maneiras para mostrar a SUA verdade dos fatos. A verdade de fato, muitas vezes, não sabemos. Ou então só conhecemos se tivermos mais tempo e condição de pesquisar sobre o assunto.

Um exemplo claro é a questão dos direitos de transmissão de TV dos mais variados jogos e campeonatos de futebol pelo mundo. Nem todo mundo tem acesso aos meandros das negociações e fica por fora do assunto, normalmente até ver que determinado jogo do seu interesse não está passando em um canal de sua preferência. É compreensível e por isso vemos um número elevado de pessoas perguntando e querendo saber até mesmo de jornalistas das emissoras se elas vão transmitir tal evento. Não é obrigação dos profissionais saber de tudo, mas seria papel da empresa jornalística informar de forma correta a situação de compra (ou não) de cada campeonato.

Por essa razão me chamou a atenção um fato recente sobre a disputa pelos direitos do Campeonato Alemão. A FOX de fora do Brasil fez uma compra global e adquiriu o campeonato dos atuais campeões mundiais. O fato, para quem acompanha esse tipo de noticiário, não era bem uma novidade; a pelo menos um ano já se sabia que a “raposa esportes” vai transmitir a competição alemã nos próximos anos. Porém nos últimos dias o canal cedeu parte do campeonato para a ESPN. (Veja NESTE link como a ESPN tratou o assunto). Veja que em nenhum momento a nota ressalta que a transmissão do campeonato será dividida com um rival. campeonato alemão bola parada

Mas o pior foi ver a postura dos profissionais da ESPN no vídeo. Houve uma grande comemoração pela continuidade da transmissão dos jogos da Bundesliga. Ok, é algo para ser registrado. Mas o fato é que ninguém ressaltou no ar a situação verdadeira de que a ESPN PERDEU os direitos para a FOX Sports e só conseguiu manter a transmissão de “meio” campeonato por uma decisão estratégica da FOX, que preferiu manter os direitos do Campeonato Italiano por inteiro e ceder parte do Alemão, provavelmente por achar que os jogos da “Bota” trarão mais audiência, além de bloquear um possível avanço do Esporte Interativo (leia-se Turner Esportes) sobre a competição alemã.

A notícia mais correta seria ESTA aqui do Portal Terra, que ressaltou ter transmitido os jogos do Alemão até esta temporada, mas não disse que provavelmente não transmitirá os jogos da próxima edição…Ou seja, mais correta em termos…

Os interesses comerciais são parte importante de qualquer emissora de TV, rádio, jornal ou mesmo portal da internet. Entendo que um rival não queira “jogar confete” no outro. Mas um pouco de verdade nas notícias, mesmo que elas sejam negativas para a emissora, não fariam mal para o verdadeiro jornalismo e para quem gosta de informações corretas sobre qualquer assunto. Com a briga pelos direitos do Campeonato Espanhol e pelo Inglês, além da situação meio estranha da UEFA Champions League, voltaremos ao tema brevemente…

(Faço justiça ao Everaldo Marques e ao pessoal do Space que pelo menos nas transmissões da NBA não se furtam de dizer que tal jogo passará no canal concorrente em dias subsequentes. É uma atitude simpática pois informa ao fã da modalidade de forma correta e simples).

*****

Na última semana a ESPN Brasil exibiu o Bola da Vez, novamente com o técnico do Flamengo Vanderlei Luxemburgo, que já tinha ido ao mesmo programa no ano passado. Sobre a “atuação” do treinador no programa não vou falar muito, Tostão NESTA coluna já disse um pouco do que penso. O que me chama a atenção é o fato do canal não ter levado ao programa o Mauro Cezar Pereira, um contumaz crítico do técnico flamenguista. bola da vez bola parada

Não acho que o jornalista tenha de ser levado a um programa de perguntas e respostas apenas com o intuito de criticar ou provocar o entrevistado. Mas você ter na bancada alguém com mais senso crítico e com bons argumentos para questionar quem está na atração é algo válido. Porém o programa da ESPN parece ter ido por outro caminho, com a redução do número de entrevistadores e a escolha de pessoas que não teriam tanta condição de colocar o convidado “na berlinda”.

Sobre a contratação do Dan Stulbach para apresentar o programa: eu coloco isso na conta da atual direção do canal que parece tentar desesperadamente chamar a atenção para a emissora, mesmo que para isso tenha de fazer a ESPN Brasil perder parte da sua qualidade. Afinal chamar um ATOR (que é isso o que o Dan é na verdade) para apresentar um programa jornalístico-esportivo faz com que tenhamos a certeza de que no jornalismo esportivo de hoje em dia vale tudo (pela audiência). E nem tudo pela qualidade e pelo espírito crítico.

*****

esporte interativo nordeste bola parada O Esporte Interativo têm os direitos da Série C do Brasileiro e não os passa em TV aberta, nas parabólicas. Mais um golpe naquele discurso de levar o esporte para todos, ainda que muita gente continue a defender cegamente o canal…O EI Nordeste já exibiu de tudo, desde lutas de MMA até jogos do Barcelona, Real Madrid e outros europeus (tudo a ver com o Nordeste…). Portanto não foi surpresa exibirem Guarani (de Campinas) e Londrina pela Série C do Brasileiro no último fim de semana. Não seria melhor mudarem logo o nome do canal para Esporte Interativo 2, EI +, EI qualquer coisa? Essa história de “defender o nordeste” pode enganar alguns, mas em geral causa apenas vergonha alheia. Sei que transmitem a Copa do Nordeste, mas para eles a defesa da região só vale por 4 ou 5 meses ao ano? Com a palavra os fãs da emissora…

Share Button

PostHeaderIcon Consistência x Insistência (e Algumas Cornetadas na Mídia…)

Não gosto de endeusamentos. Acho que todos os profissionais, por melhores que sejam, possuem seus defeitos. Mas temos de reconhecer quando alguém se destaca em meio aos demais e mostra que o seu trabalho tem algo de bom. Falo do trabalho de Tite no Corinthians. Depois de passar um tempo parado, fato que até já repercuti AQUI, inclusive criticando esse retorno por poder ser prejudicial à sua carreira, ele retorna ao seu ex-time e mostra que possui uma ideia clara do que fazer em campo, mesmo com pouco tempo nesse novo trabalho. E isso foi visto no jogo desta quarta contra o São Paulo. muricy tite bola parada

Como disse no começo, não falo isso para endeusar o treinador gaúcho. Depois de fazer do seu time fazer o primeiro gol, ele recuou até excessivamente, dando um espaço perigoso para o Tricolor (ainda que ele tenha sido pessimamente aproveitado). Mas a estratégia de jogo tinha uma lógica e contava com as peças certas em seus locais corretos. Jogando com um volante mais fixo (Ralf) e outro que desarmava e armava (Elias), o time tinha força defensiva no meio. Contando com meias (Jadson e Renato Augusto), que se movimentavam e ajudavam na recomposição e um atacante (Emerson) que também ajuda na marcação, o meio-campo do time era bem compacto. Some-se a isso a presença de Danilo, um meia mais avançado, que não jogava como “falso 9” e sim como uma referência destinada a abrir espaços para quem vinha de trás. Assim saiu o primeiro gol do Corinthians e poderiam ter saído outros.
Nada do que Tite fez é novidade, mas trabalhar o time para atuar de forma compacta e organizada é um grande mérito, ainda mais analisando o que foi feito do outro lado do clássico…

*****

Pode-se dizer que o segundo gol corinthiano foi ilegal, derivado de uma falta de Emerson em Bruno, o que mancha uma arbitragem que vinha até se portando bem até então. Porém isso não anula a boa partida do time da casa e a partida fraquíssima dos comandados de Muricy Ramalho. Também é preciso lembrar que a tão falada “opção de velocidade”, tão pedida pelo treinador são paulino (Centurión), não podia entrar em campo, suspenso. Além disso Pato, por questão contratual, também ficou fora. Mas porque não tentar Boschilia ou Jonathan Cafu que estavam no banco?

Mas pior do que isso são as insistências (ou teimosias? ou muletas?) que o treinador continua usando na equipe. Depois de quase ser beatificado após ser vaiado num jogo do Campeonato Paulista, Maicon foi escalado no time titular. Com ele continuaram os toques para o lado, a lentidão e a falta de pegada no meio campo. Luis Fabiano, inexplicavelmente idolatrado pela torcida, não sai de campo por nada…Enquanto isso, o sacrificado Alan Kardec, jogando fora de sua posição, sai depois de ao menos tentar aparecer para o jogo…Nem falo tanto da escalação de Michel Bastos na lateral-esquerda, perdendo assim uma opção de meio-campo ofensivo, pois no lugar dele entraria o pífio Reinaldo (e o segundo gol do Corinthians mostra porque ele tem de ser reserva…). Mas isso mostra que o elenco são-paulino possui algumas carências que o treinador não tem conseguido resolver.

Claro que a competição ainda está no começo, mas o São Paulo precisa melhorar demais para não passar mais um sofrimento na fase de grupos, como aconteceu em 2013. O Corinthians parece mais inteiro, mas tem de se cuidar também, pois agora faz dois jogos fora de casa.

*****

Assisti ao jogo pela Fox. Gostei da transmissão. Gustavo Villani e PVC fazem uma boa dupla, apesar da presença do tal “analista de arbitragem”. E isso só mostra como a ESPN tem perdido nos últimos anos…Mas vou fazer uma crítica. É um assunto complicado, que até merece uma coluna maior, mas vamos lá. foxsports1

Como tem sido padrão nos últimos jogos entre São Paulo x Corinthians, a torcida alvinegra sempre grita “Bicha!” quando o Rogério vai bater um tiro de meta. Depois de ignorar o assunto por todo o primeiro tempo, na segunda etapa o Villani diz que a torcida está “pegando no pé” do Rogério. Obviamente não é o caso. Brincar com o São Paulo com essa coisa de masculinidade é uma besteira, mas é algo meio que aceito, até mesmo por alguns jornalistas, que gostam de jogar indiretas com isso.

Não sou da turma do politicamente correto, mas esse é um xingamento direcionado. E fico imaginando se a torcida, por exemplo, do São Paulo, chamar um jogador do Corinthians de “maloqueiro” ou coisa pior, relacionando à um estereótipo que é usado contra os corintianos. Será que a imprensa iria fingir que não escuta ou teríamos uma repercussão maior? Não sei se é o caso de uma punição, mas penso que não deveria passar tão batido…

Assim como o caso dos ônibus para a torcida são paulino poder ir até o estádio em Itaquera. Parece que descobriram só agora que existe relação dos clubes com as torcidas organizadas, já que o Carlos Miguel Aidar resolveu atender um telefonema de um dos chefes da “facção torcedora” ao vivo e a cores. É evidente que isso é errado, uma parceria que financia confusões e acoberta crimes. Mas nesse caso existe um problema maior, que pouco foi debatido, que é o péssimo sistema de transporte público para quem volta dos estádios, ainda mais em jogos no horário das 10 da noite.

Muitas vezes a discussão que acontece na mídia na verdade encobre a discussão que deveria acontecer de fato.

*****

A respeito do que o Marco disse na coluna passada sobre a ESPN contratar “embaixadores” para a Libertadores. Concordo 100% com que ele escreveu, mas vou acrescentar algumas coisinhas. Primeiro que passa o recibo de uma certa imitação ao Sportv, que loteou sua cobertura da Copa com ex-atletas, alguns muito fracos como comentaristas. Segundo, “embaixadores” para ficarem apenas cobrindo o pré e o pós jogo cheira a desperdício de dinheiro. Não seria melhor diversificar a programação um pouco? espn+ bola parada

Terceiro é que nem conseguem dividir em igualdade a participação desses ex-jogadores. Para que ter mais ex-atletas do Corinthians e do Cruzeiro em detrimento dos outros clubes? Até porque, penso que colocaram esses “embaixadores” para tentar diminuir uma impressão de que o nível do canal está cada vez mais parecido com o da Bandeirantes…Então colocaram o Raí para tentar diminuir um certo “corinthianismo” nos novos contratados. Para contrabalançar o Sorín, que a torcida do Atlético/MG não tolera, trouxeram o Marques. É um populismo para fazer comentários e tentar não desagradar ninguém, quando na verdade escamoteiam preferências de alguns…

Fico pensando no Campeonato Brasileiro. Será que trarão 20 ex-jogadores, um para cada time? Enquanto isso a qualidade do canal cai a olhos vistos. E não será com essa tentativa de agradar torcedores, trazendo ídolos do passado, que o canal poderá melhorar.

Share Button

PostHeaderIcon Perdendo a Alma (ou a ESPN descendo os degraus – parte III)

Tudo na vida é sujeito à mudanças e adaptações conforme o tempo. Algumas trocas são necessárias para a melhoria de algum fator em nossas vidas ou profissões. Mas para que isso aconteça elas devem ser feitas para melhor. Sei que isso que escrevi agora pode parecer o óbvio, mas muitas vezes isso não é feito da maneira correta por quem tem o poder para que isso ocorra.

Falo naturalmente em relação ao processo de quase desmanche pelo qual passa a ESPN Brasil. Pelo que eu me lembre nos últimos 3 anos o canal perdeu a Euroliga de Basquete, os campeonatos nacionais de handebol, os paulistas de futebol de salão e de basquete (este último foi escondido na sua última edição na ESPN +), o torneio de Roland Garros no tênis, o Campeonato Italiano de futebol, meio campeonato inglês (dividido com a FOX), e já tem de lidar com as perdas do Campeonato Alemão e a UEFA Champions League para a próxima temporada europeia. Porém nessa última segunda a emissora sofreu mais uma grande perda, mas dessa vez em termos profissionais. pvc espn bola parada

Evidentemente que nenhum jornalista, alguém que lida diretamente com o público, e ainda mais quem vive de dar opinião, pode ser uma unanimidade. Todos erram e podem se equivocar em algum momento. Paulo Vinicius Coelho, o PVC, já errou algumas vezes certamente. Tem às vezes um estilo exagerado de se ater aos números e estatísticas. Sempre procura ver os dois lados da história e isso faz com que, em algumas ocasiões, seja mais político do que o necessário com suas fontes. Mas isso não anula o fato dele ser um jornalista na totalidade da palavra e muito acima da média que temos no atual cenário da imprensa esportiva brasileira. Ele faz com muita competência o óbvio, mas que nem todos querem ou sabem fazer. É alguém que analisa o jogo, não trilha o caminho das polêmicas vazias e tenta sempre trazer algo a mais de relevante para as transmissões e programas que participa.

A saída do PVC da ESPN, depois de 14 anos de casa, significa o fim de uma era no canal, algo que já vinha se desenhando a algum tempo e já foi muito debatido aqui no Bola Parada, em alguns textos do Marco e meus também. Pelo visto estávamos certos em nossas impressões, pois está cada dia mais claro que ele não saiu da emissora da qual ele era, talvez, o principal nome, apenas por dinheiro. O clima no canal dos “fãs do esporte” não parece estar bom e as tais mudanças que falei no primeiro parágrafo vieram, mas para pior. Basta ver que alguns programas clássicos da emissora (e mesmo alguns mais recentes) foram limados sem dó nem piedade; Limite, Pontapé Inicial, Loucos Por Futebol, Segredos do Esporte, entre outros, saíram do ar sem maiores explicações. No lugar deles temos uma overdose de Bate-Bola e Sportscenter, além da presença do – também já muito discutido aqui – nefasto “jornalismo engraçadinho” em maior ou menor escala em vários momentos. Isso sem falar da entrada de algumas figuras que fizeram a qualidade do canal cair bastante nos últimos tempos.

O pior disso tudo é que João Palomino, que assumiu a direção do canal após a saída de José Trajano do cargo, não veio à público dar alguma satisfação sobre o que vem ocorrendo. Não que na época “pré-Palomino” tudo era perfeito e maravilhoso. Mas o fato é que agora, como Trajano teria dito em uma reunião da emissora, segundo relatos do blog do Mauricio Stycer no UOL, o canal vem “perdendo a alma”. Para quem assiste a emissora a tanto tempo como é meu caso, isso é a pura verdade. E recuperar a alma é bem mais complicado do que alguns pontos de audiência no ibope…

Penso que a solução, além de tentar algo junto à matriz (Disney) em termos financeiros para recuperar alguns eventos perdidos, é buscar retornar a essência do canal; variar alguns programas, recuperar a qualidade dos analistas e colocar a informação antes da piada fácil e da busca da audiência por audiência; tentar ser diferente novamente. O problema é que, mesmo desejando que isso aconteça, não vejo sinais de que isso será feito…Será que vai ser preciso mais perdas desse tamanho para que alguém por lá acorde?

*****

Por outro lado, a nova casa do PVC, o FOX Sports, nunca demonstrou essa vontade de ser um canal de JORNALISMO ESPORTIVO. Por lá, pelo menos na maioria das vezes, o que importa são os eventos, a gritaria, a musiquinha depois do gol…Isso por si só dá mostra da estranheza em que muitos podem sentir ao ver o Paulo Vinícius em algum dos programas de debate do canal da “Raposa” que, como bem diz o Marco, possui aquele “DNA” bem conhecido de programas da Record/Bandeirantes da hora do almoço…mauro beting fox sports bola parada

Porém a FOX dá nesse momento um outro sinal de que pode querer qualificar a sua equipe. Mauro Betting e agora PVC são referências em termos de conhecimento e busca de um jornalismo correto e analítico. Apesar de ser um pouco “avoado” em alguns momentos, o Rodrigo Bueno também possui talento e capacidade de analisar o futebol em um ângulo maior do que o das “bombas no Corinthians” ou do “foi pênalti ou não” da maioria das nossas mesas-redondas. Além disso Eugênio Leal, o qual eu não conhecia muito, mostra-se interessado e conhecedor de futebol internacional. Por que não fazer o óbvio e fazer um programa diário com esses quatro citados? O telespectador que não gosta de ver algum sujeito ficar gritando a cada minuto em close na tela de sua TV (algo que vemos com certa frequência em alguns dos debates do canal) agradeceria se esse salto de qualidade acontecesse a partir do ano que vem…

Mas, como vemos muitas vezes em nossas vidas, mudar para fazer o óbvio (e o mais correto), pode ser mais difícil do que parece ser… Espero que não pensem apenas em fazer “barulho” (até literalmente) com a chegada do novo reforço e que busquem fazer algo de qualidade. E também espero (e até torço) para que o PVC continue sendo o ótimo jornalista que nós conhecemos.

Share Button

PostHeaderIcon ESPN Descendo os Degraus

Eu não acompanhei o início da ESPN. E nem o “meio”. Muito raramente, na casa de algum conhecido que era assinante, assistia um jogo ou programa. Só ouvia falar, quase sempre bem. E ficava encucado, pois nunca fui muito fã de alguns nomes mais conhecidos da emissora. Basicamente os da velha guarda; a geração mais nova eu só lia alguma coluna pela internet. E olhe lá.

Mas nos últimos 4 (ou pouco mais) anos, eu assisti muita coisa na ESPN. Até por não ter grandes opções; alguns jogos no Sportv (Premiere) e … E aquele canal fantasma. A Raposa Esportes ainda não atende minhas expectativas.
logo espn
Acho que dei azar. Só tenho visto a ESPN regredir. Ela vem perdendo eventos, pessoal e qualidade. É claro que a chegada de um grande concorrente (Fox Sports) iria causar impacto. Isso começa pelas concorrências internacionais, e não é de inteira responsabilidade da direção local da ESPN. Mas o resto é, e aí tenho que reclamar. Mesmo respeitando as opiniões contrárias, não concordo com as seguintes opções da ESPN:

1- Com a perda de torneios, a emissora optou por rechear a grade com mais edições do Bate-Bola e do SportsCenter. Mas exagerou, ninguém aguenta tanta “figurinha” repetida.

2- Não bastasse as várias edições destes programas, a linha editorial foi alterada, privilegiando brincadeiras e assuntos popularescos. Estão muito perto do estilo Milton Neves de ser.

3- Também exageram no uso da interatividade com redes sociais. As # e mensagens do Twitter ganharam um espaço indevido. Não suporto mais ver/ler mensagens mal redigidas e sem sentido rodando nos letreiros do rodapé.

4- Demitiram profissionais mais experientes e contrataram outros de qualificação discutível. Principal sintoma dessa opção foi a “quase” demissão do Lúcio de Castro. Não foi, mas não fica nem no banco de reservas.

5- A sucursal do Rio deixou de ter um estúdio e entradas ao vivo. Virou uma redação fantasma. Pra quem deveria ampliar as sucursais pra outros Estados, péssimo sinal.

6- Não vejo sentido algum na manutenção de 3 canais (ou 5 contando os HD). A emissora não tem produtos para preencher tanto espaço. Nem apelando pra esportes de longa duração, como o tênis e o futebol americano.

No próximo ano a ESPN vai perder a Bundesliga, talvez a Champions (isso ainda será definido). E as alternativas são pouco animadoras, o Portuguesão, o Russão, o Tequilão, a Copa da Argentina e por aí vai. Mesmo o Francesão, não é essa champanhe toda. Se usarmos a Teoria do Degraus (do PVC), a ESPN terá descido uns 3 degraus em pouco tempo. Ainda faltam vários degraus pra chegar no patamar da Band Sports, mas tá indo pelo mesmo caminho.

* * * * *

Por força maior, assisti duas edições (ou parte), do Extra Ordinários. A teoria é até interessante, mas a prática é horrível. Juntaram vários destrambelhados (e engraçadinhos) pra falar sobre qualquer coisa. Inclusive futebol. Mas não se aproveita quase nada. Se é pra falar sobre o nada, prefiro uma reprise do Seinfeld.

* * * * *

A Fox Sports tá virando um Benja Show. Ou já é. É Benjamim 24 horas!
E outra coisa, vocês sabem me dizer a diferença entre o FS Rádio e o Expediente Futebol?? Talvez a cor da mesa seja diferente.

Por outro lado, na Fox Sports 2, o WWE tá dominando tudo. As crianças estão adorando.

Share Button
1 2 3 »

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...