Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Posts Tagged ‘campeonato inglês’

PostHeaderIcon A Conquista Histórica e Seus Poréns

E finalmente aconteceu. O Leicester, depois de uma campanha surpreendente e histórica, conseguiu o título do campeonato inglês. Em termos de surpresa é provavelmente um dos maiores feitos já conseguidos na história do futebol mundial, ainda mais se lembrarmos que foi uma conquista em pontos corridos onde, em tese, o espaço para novidades é menor. Mas existem alguns fatores que não foram tão citados nesse clima de euforia que o título de uma “zebra” ´pode causar.

O time da pequena cidade inglesa de cerca de 300 mil habitantes veio de uma temporada (2014/2015) em que se salvou do rebaixamento apenas numa arrancada final no segundo turno, onde venceu seis dos oito jogos finais. Um dos responsáveis por isso foi o treinador Nigel Pearson, que ficou no clube por quatro anos e o trouxe para a primeira divisão na temporada anterior. Nesse time já jogavam Mahrez e Vardy, os dois maiores destaques ofensivos do time vencedor de 2016; ou seja, o antigo treinador tem o seu mérito na montagem da equipe atual.

Porém por problemas alheios ao campo, Pearson saiu e em seu lugar veio Claudio Ranieri, um outro fator que fez o título do Leicester ser ainda mais surpreendente. O italiano nunca foi um treinador de sucesso, tendo ganho apenas duas copas nacionais (na Itália e na Espanha) como títulos mais relevantes em sua carreira. Ele também vinha de trabalhos medíocres na Juventus, na Inter de Milão e principalmente na seleção da Grécia, onde conseguiu ser derrotado pelas Ilhas Faroe nas Eliminatórias para a Euro 2016. Sendo assim, sua chegada não inspirava grande euforia tanto para os torcedores quanto para os analistas. leicester bola parada

Temos de lembrar também que alguns grandes da Inglaterra não vivem o seu melhor momento e isso ajudou no cenário para o surgimento de uma surpresa. O Manchester United ainda não se encontrou totalmente depois da aposentadoria de Alex Ferguson. O Liverpool vive um estado de quase “eterna” reconstrução (vamos ver agora com Klopp se encontra seu caminho). O Chelsea viveu uma temporada para se esquecer pós-demissão de Mourinho. O Arsenal não consegue sair da sina de time que briga para chegar em terceiro lugar. E o Manchester City não conseguiu em nenhum momento brigar de fato pela taça, ainda que tenha ficado sempre na zona de classificação para a Champions. Sobrou o Tottenham, que não é campeão inglês desde 1961!

Além disso o clube não é um “pobre coitado” como muitos têm pintado por aí. É evidente que o investimento é menor se o compararmos com Chelsea e Manchester City, os “novos ricos” com mais poder financeiro na Inglaterra. Mas o Leicester também tem um dono, o tailandês Vichai Srivaddhanaprabha que inclusive rebatizou o nome do estádio de The Waikers para King Power Stadium (nome de uma das empresas do proprietário). Além disso o clube é acusado de ter burlado o chamado Fair Play financeiro da UEFA, quando na temporada passada o seu dono teria usado recursos escusos de uma empresa sem registro oficial para poder reforçar o orçamento e deixa-lo “no azul”.

Porém, dentro de campo, a conquista foi incontestável. Ainda que o Tottenham tenha conseguido mostrar um futebol mais vistoso durante boa parte da Liga, o Leicester foi muito consistente e mostrou uma forma bem definida de jogar. Claro que o fato de ter um calendário mais enxuto também ajudou para o time não ter tantas lesões, mas a equipe teve uma força grande em jogar tanto dentro quanto fora de casa, onde nunca sentiu a pressão de estar na liderança.

Kanté, Schmeichel e Drinkwater, além dos já citados Vardy e Mahrez, foram os grandes destaques do Leicester que provou mais uma vez que não existe uma forma única de jogar bem futebol. Agora fica bem claro pela postura da equipe em campo, que a determinação e a vontade de vencer são indispensáveis e isso não faltou à esse time que têm muita história na Inglaterra, mas que agora se tornou uma coqueluche mundial. Esperamos para vê-lo na Champions League da próxima temporada!

P.S. Bom lembrar apenas que foi um anticlímax total o Leicester ser campeão vendo o jogo pela TV, enquanto o Tottenham jogava. Vendo que havia possibilidade de título, os jogos deveriam ser no mesmo dia e horário. O calendário inglês já é bem inchado e a federação local merece críticas, que certamente apareceriam por aqui, se algo semelhante acontecesse.

Share Button

PostHeaderIcon Cadê o Bom Futebol?

Já tem muito tempo que vejo futebol. E não lembro de um começo de ano tão sofrível. Antes, quando se chegava no começo de Março, já era possível apontar um ou dois times jogando um bom futebol, mais arrumados e com potencial para fazer uma temporada vitoriosa. Neste ano eu olho, olho, olho e não vejo nada especial. Todos os times estão devendo (um bom futebol). E alguns estão devendo demais.

E, como é comum em nosso futebol, a urgência de resultados (ou boas atuações) já começou a fazer suas vítimas. O primeiro foi o técnico Eduardo Baptista, demitido do Fluminense. Ele e o diretor de futebol. O Deivid já está sob forte pressão no Cruzeiro. O que nem é de se espantar, aquele discurso bonito do ano passado nunca me convenceu. Trabalho de longo prazo, integrando o profissional e a base, formação de um modelo de jogo e todas as promessas só funcionam no papel. Pelo menos aqui no Brasil.

Outro que balança fortemente é o Marcelo Oliveira. Ano passado eu até aliviei a barra do técnico. Ele chegou na metade do campeonato, pegou um elenco montado por outros, não tinha muito tempo pra treinar… Agora é bem diferente. Ele já tem parcela de culpa. Mas a direção do Palmeiras também tem a sua cota. Contrataram mal, nas posições erradas. A defesa continua ruim e falta um meia de criação. Já volantes e atacantes…

Uma parte deste movimento de demissões atende pelo nome de Cuca. O treinador é o sonho de consumo de todo clube insatisfeito. Hoje. Amanhã o Cuca pode estar na outra ponta, sendo criticado pelos torcedores e fritado pelos diretores. E assim segue em pleno funcionamento a máquina de moer técnicos.

* * * * *

Ano passado, após os Estaduais, escrevi sobre aquela parcela de torcedores (e técnicos, jogadores, diretores, jornalistas…) que gostam de se enganar com resultados preliminares. Eu me referia ao Vasco; e sabemos como o clube terminou 2015. Neste ano temos um filme parecido, estrelado pelo Botafogo. Os resultados até são bons, mas eles são falsos. O elenco é ruim e precisa de reforços pra valer. Refugos e jogadores 0800 não vão resolver. E os garotos da base não vão aguentar o rojão. O alerta está dado. Quem quiser se enganar…

Por outro lado, apesar de alternar resultados, o Flamengo é um time que pode dar liga. Os reforços vieram para suprir algumas lacunas. E já demonstraram sua importância. Ainda existem outras deficiências, basicamente na defesa. Mas é um elenco que se encaixa. Se não ocorrer nenhum “fator externo”, pode render bem mais que o time de 2015.

* * * * *

Outro dia eu estava vendo um jogo do Liverpool; a derrota para o M. City pela final da Liga inglesa. Apesar do empate no tempo normal, o goleiro do City quase não teve trabalho. O grande reforço, Benteke, nem entrou em campo. Aí fiquei lembrando de quando eles tinham o Suárez, Sterling e cia. E agora a torcida do Liverpool vendo Suárez arrebentando no Barcelona. Pois é… Parabéns aos gênios que tiveram a grande ideia de se livrar do uruguaio. Entendem muito!!
luis suarez
Já em Londres… Existem coisas que só acontecem com o Arsenal; o Botafogo de lá. Passou os últimos 10 anos sofrendo com os antigos (United) e novos (Chelsea e City) rivais. Aí, no ano em que os rivais estão mal, aparece o Leicester. E o Leicester segura bravamente a ponta. E o Arsenal não consegue encostar e passar. E, cruelmente, pode acabar vendo seu rival londrino (Tottenham) levantando a taça no final do campeonato. Oh, mundo cruel!

Share Button

PostHeaderIcon O Que é Bom e o Que é Errado

Eu gosto de futebol. Assisto basicamente a qualquer jogo das principais ligas e gosto de acompanhar tudo que acontece aqui e lá fora, apesar de que muitas vezes a cobertura da imprensa me desanime intensamente. Até por acompanhar a algum tempo, consigo reconhecer quando alguma crítica é feita seguindo os interesses do lugar, da empresa ou do canal que transmite determinado torneio.

Até já tratei do assunto dos jogos de fim de ano na Inglaterra NESTE post ano passado. Como disse ali é bom termos jogos em datas em que temos outros campeonatos parados; para quem é fã de futebol não deixa de ser um programa e tanto. O que não dá muito para engolir é a “vista grossa” de quem transmite o Campeonato Inglês sobre o fato de termos jogos sendo disputados com menos de 48 horas de tempo de recuperação para os atletas. Tivemos uma rodada cheia no dia 26 e outra no dia 28, sexta e domingo. Isso num campeonato em que a intensidade na qual são disputados grande parte dos jogos chama a atenção.

Chama a atenção também como os três primeiros na tabela (Chelsea, Manchester City e Manchester United) sofreram no segundo tempo de suas partidas no domingo. Os três acabaram empatando e tendo desempenhos ruins na segunda metade dos jogos. Antes das partidas do fim de semana passado, José Mourinho e Louis van Gaal, talvez já prevendo o problema com suas equipes, criticaram duramente o inchado calendário de jogos na Inglaterra. boxing day bola parada

Aí volto a falar sobre a mídia aqui no Brasil. Quem transmite as partidas, claro, tem de valorizar o produto que possui. Mas não deveria fechar os olhos para os erros que acontecem no “mundo maravilhoso” da Premier League. Vi narrador ironizando a fala de Van Gaal, dizendo que ele “não sabia” que a tradição inglesa de jogar muito no fim do ano vem a mais de 100 anos. Entendo a tradição e, como disse antes, acho legal termos ALGUMA rodada no fim de ano. Mas esse excesso de jogos acumulados é ruim para os clubes e gera uma incoerência no discurso de alguns por aqui.Se tivéssemos esse acúmulo de partidas no Brasil, certamente muitos criticariam, dizendo que o calendário é um absurdo, que a CBF é isso, aquilo…

Evidentemente que na Inglaterra existe uma pré-temporada maior no meio do ano, mas isso não justifica o exagero de partidas no fim de ano no meu modo de ver. Poderíamos ter uma rodada no dia 26 e outra no começo do ano. Isso a meu ver evitaria o cansaço exagerado de alguns times e a incoerência de alguns que parecem só ver defeito do lado de cá do Atlântico…

*****

A Copa do Rei da Espanha trará um grande jogo nesse começo de 2015. Real Madrid e Atlético de Madrid se enfrentarão pela copa nacional já nas oitavas de final. Porém esse jogo será restrito a quem assina a SKY, pois apenas o canal (quase fantasma) Sports + transmitirá a peleja. Porém nesse fim de ano, um simples amistoso entre Real Madrid e Milan teve a transmissão de quatro (!!!) canais esportivos: Sportv, ESPN Brasil, FOX Sports e Band Sports. Qual o maior erro: Um canal que deveria estar disponível para assinantes de várias empresas ser restrito apenas à uma operadoras (alô ANATEL!) ou os canais de modo geral preferirem às vezes apenas um jogo festivo, para ter um pouco mais de audiência? Complicado viu…

*****

Desejo à todos os leitores do Bola Parada um Feliz 2015, com muita saúde, paz, felicidades e muitas vitórias em suas vidas! Um abraço e fiquem com Deus!

Share Button

PostHeaderIcon Não é o Medo, é a Falta de Elenco

Durante algum tempo nesta reta final da temporada 2013/2014 do futebol europeu, Liverpool e Atlético de Madrid viveram o sonho de terminar o longo jejum de conquistas pelo qual essas tradicionais equipes passam. O Liverpool não é campeão inglês desde 1990 e o time madrilenho não vence a liga espanhola desde 1996.

Sei bem que o time espanhol ainda pode ser campeão, bastando para isso empatar com o Barcelona no jogo decisivo do próximo fim de semana, mas inegavelmente a conquista (caso venha a acontecer) se dará com muito mais trabalho do que o esperado a algumas semanas, muito por causa dos tropeços dos “colchoneros” nas duas últimas partidas em que conquistaram apenas 1 de 6 pontos disputados. atlético de madrid málaga bola parada

Se no começo da temporada você dissesse para um torcedor de qualquer uma das duas equipes que elas chegariam disputando o título nacional na última rodada, com certeza esse torcedor aceitaria a proposta, mesmo ficando um pouco com o pé atrás devido ao histórico recente das equipes, ainda que, no caso do time de Madrid, desde a chegada de Diego Simeone para o comando técnico em 2011 o time evoluiu de forma assustadora, já chegando a vencer uma Copa do Rei na temporada passada e confirmando essa evolução com a conquista da vaga na final da Champions League.

O problema é que, além de ter de definir o título europeu contra o maior rival (Real Madrid), os “colchoneros” terão de definr a Liga contra o Barcelona. Ao enfrentar os dois rivais mais endinheirados, fica evidente o grande problema do time: a falta de elenco. O time titular se manteve competitivo nas duas frentes, mas sofre com o fato de alguns atletas terem se contundido, como aconteceu com Arda Turan, Koke e principalmente agora com Diego Costa, o cara que vem decidindo as partidas mais intrincadas e fez muita falta na partida contra o Málaga no último domingo. liverpool 2014 bola parada

No caso do Liverpool, mesmo não atuando e tendo desgaste em competiões européias, faltou também uma maior profundidade no plantel, principalmente na parte defensiva. O time de Brendan Rodgers jogou um futebol empolgante em boa parte do torneio com Sturridge, Gerrard e Suárez (este o melhor jogador do campeonato) comandando o elenco. Mas faltaram opções melhores no banco para mudar o estilo de jogo do time em alguns momentos.

Com isso discordo da análise do PVC que disse que o Liverpool “teve medo” de ser campeão. Claro que deixar um time mediano como o Crystal Palace empatar um jogo em que venciam tranquilamente por 3×0 não é algo que combina com um time campeão; foi um vacilo fatal na hora errada. Mas olhando para toda a temporada, podemos ver sinais nesse time dos “Reds” que são animadores para o futuro. Mas para isso será fundamental incrementar o elenco para que não aconteça outra decepção.

Share Button

PostHeaderIcon Resumo de Fim de Ano

Estamos no fim de ano e vou tratar brevemente de alguns assuntos que estão dominando o noticiário nesse término de 2013.

portuguesa bola paradaSegundo a decisão do Tribunal Pleno do STJD, Portuguesa e Flamengo perderam 4 pontos e com isso o Fluminense permanece na primeira divisão. O Vasco que tentou a anulação do jogo contra o Atlético/PR não conseguiu sucesso em seu intento e, tudo indica, terá de disputar a Série B de 2014. Tudo isso parece ser provisório pois podemos ter ações na Justiça Comum que podem confundir ainda mais o já enrolado processo de rebaixamento. O que mais chateia é a aura de “processo político” da decisão, pois muitos duvidam que algo aconteceria se o beneficiado da história não fosse um time carioca, que já conseguiu se safar de dois rebaixamentos anteriormente.

Mas como o comentarista Paulo Vinícius Coelho da ESPN Brasil e da Folha de S. Paulo disse durante todo o processo, se fosse um julgamento entre Portuguesa e Ponte Preta provavelmente não teríamos tanta repercussão e comoção como estamos vendo agora. É bom lembrar que o processo não define um rebaixamento e sim a perda de pontos de alguns clubes. O Fluminense paga pelas viradas de mesa do passado, mas não me parece agora ser algo semelhante. Culpar apenas o time do RJ pelo absurdo é errado, pois é bem provável que QUALQUER TIME que estivesse no lugar do Flu iria se aproveitar da situação.

Sendo assim a Portuguesa merece uma punição pela burrice que cometeu (assim como o Flamengo). A questão é: deveria acontecer a perda de 3 pontos além dos que são conquistados no jogos em que tivermos a presença de algum jogador irregular? E, principalmente, deveríamos ter alguém beneficiado? Não seria mais justo tirar os 4 pontos no próximo campeonato, ou subir o quinto colocado da série B ou então jogarmos a série A com 19 times? A forma da punição é que deve ser discutida e me parece que poucos querem mexer nesse vespeiro. Sobre a justiça favorecer mais os grandes no país, é algo que infelizmente também precisa ser criticado e lembrado, mas um clube também não pode ser punido antecipadamente apenas por ser grande. Em relação ao caso do Vasco, a derrota de 5×1 no jogo em que foi rebaixado me parece bem eloquente e mostra como a tentativa do clube de tentar as coisas na marra beira o ridículo.

*****

boxing day bola paradaNo fim do ano a maioria dos países dá um tempo em suas atividades no futebol; um dos poucos que continua normalmente com jogos é a Inglaterra. No dia 26 de Dezembro temos as partidas do chamado “Boxing Day”, data ligada ao comércio no Hemisfério Norte (e um termo já copiado por alguns aqui no Brasil, país com muitos “mestres” na arte da vontade de querer ser “chique” só por falar unas 12 palavras em inglês…) e feriado por lá. O mais incrível é que tivemos jogos também em 28 e 29 de Dezembro e teremos mais uma rodada logo no primeiro dia do ano.

Entendo que o público inglês esteja acostumado com essa maratona e dê suporte nos estádios com boa presença; também para quem gosta de futebol pela TV não é ruim passar o fim de ano vendo alguma partida, mas não deixa de ser estranho ver pessoas e canais de TV (notadamente a ESPN Brasil), que criticam um certo aperto no calendário brasileiro acharem normal times ingleses jogarem numa quinta, depois num sábado, depois numa quarta (depois do réveillon!) e logo após, no primeiro fim de semana de 2014. Penso que poderiam maneirar tanto no número de partidas no fim de ano quanto no apoio cego à tudo que vem de fora (e na crítica de tudo que é feito por aqui…).

*****

Não pretendo discutir sobre MMA (até porque aqui falamos mais sobre futebol). Não tenho a menor simpatia pelo evento, diferentemente do Marco, que até assiste alguma coisa. Também não vou fazer piada sobre a contusão do Anderson Silva, como muitos oportunistas e humoristas de Twitter gostam de fazer. Espero que ele se recupere totalmente, como desejaria para qualquer um. Não o considero totalmente um atleta, pois tenho dificuldade de considerar o que ele pratica como sendo um esporte.

Por isso mesmo me chama a atenção o fato de algo que até 4 anos atrás, era praticamente desconhecido do grande público, ganhe manchetes de jornais, portais de internet e seja o principal assunto de qualquer programa ESPORTIVO (até mesmo daquelas emissoras que diziam detestar esse tipo de luta), principalmente por termos algum brasileiro com mais destaque. O Marco define bem esse comportamento como “estouro da manada”. A líder (Globo) vai, todo mundo vai atrás de audiência fácil (apesar de que é bom ressaltar que foi na RedeTV! que aconteceu a primeira grande audiência dessa “modalidade”). Como não sou gado e não gosto de ser marcado, prefiro ficar longe.

*****

Que Michael Schumacher possa se recuperar desse terrível acidente. Por mais que seja muito criticado (e até certo ponto “demonizado”) aqui no Brasil, é um gênio do automobilismo, um dos maiores de todos os tempos da F-1. Que ele tenha força e a luz de Deus para superar esse momento complicado.

*****

Desejo aos leitores do Bola Parada um Feliz 2014, com muita saúde, paz, felicidade, sucesso e muitas vitórias, dentro e fora dos campos, quadras e pistas!

Share Button

PostHeaderIcon Vá Pro Rayo Que Te Barça

Desculpem o trocadilho do título. Mas o Rayo Vallecano quebrou uma escrita que durava mais de 5 anos, com o Barça tendo predomínio da posse de bola. Mais de 300 jogos. Pois o Rayo, apesar de perder por 4×0, teve 51% de posse de bola. O mais grave, pro time do Martino, não foi somente perder a posse de bola. Jogou mal; e errado. A ligação direta, buscando a segunda bola, não é a melhor opção pra um time com jogadores leves e rápidos, como Pedro, Neymar e Messi. Pode ser uma boa quando o ataque conta com o Lewandowski, Mandzukic ou Jô. É melhor o Martino esquecer isso e buscar mais objetividade no ataque. E mais variação no posicionamento dos jogadores de frente. O Neymar, por exemplo, virou um ponta-esquerda clássico. E nunca sai do “quadradinho”.
barcelona domínio
A goleada do Barça não deve enganar ninguém. Foi casual, provocada pelo talento individual de seus jogadores. Basta ver que, no jogo de ontem, o Valdez foi o melhor em campo. Mau sinal!

Já o Guardiola teve que frear seus impulsos. Parte deles. O Bayern continua jogando com um 9 de ofício; até por ter dois bons centroavantes, o Manduca e o Pizarro. E continua fazendo gols em jogadas aéreas. Isso o Pep teve que aceitar, corretamente. Mas o técnico conseguiu aumentar o tempo de posse de bola do Bayern. E também vem usando mais os laterais, seja na posição habitual, seja no meio, armando. O bom desempenho do Alaba é resultado disso.

Na Inglaterra, o “pequeno mouro” chegou revolucionando. Não tanto o esquema do Chelsea. Mas ele está fazendo suas “mourices”. Na partida de ontem o Mourinho sacou o Mata e o David Luiz. Não foram relacionados nem pro banco. A intenção do técnico é usar o Oscar como armador, centralizado. Mas não acho que seja a escolha acertada. O Oscar rende mais pelos lados. Desde o tempo em que o Falcão treinava o Internacional e usou o Oscar bem aberto. Também não concordo com a barração do Mata e do David Luiz. O Mata não pode ser reserva de ninguém no Chelsea. Nunca! E nem o David Luiz. O Mourinho tá criando problema, onde não existia.

Caso o Mourinho não deseje mais o Mata, pode mandar o meia pro Manchester United. O time do Moyes tá precisando, e muito. Sei que a surra aplicada hoje, pelo rival, City, deve ter incomodado. Mas o pior foi a enorme supremacia do City e a falta de criatividade do United. E nem é correto usar a ausência (estranha) do Van Persie como justificativa. Ele é atacante, não armador. O Rooney também, por mais que tente fazer as duas funções. E o Fellaini é só um bom segundo volante. Falta um cérebro, um criador. Não é o caso do Welbeck, nem de longe. Só não sei onde o United vai arrumar um. O Ozil foi pro Arsenal. E já tá fazendo diferença.

Pelo que assisti das primeiras rodadas do Inglesão, acredito que a disputa pelo título será mais equilibrada que nas temporadas anteriores. E o mesmo pras vagas na Champions e Liga Europa. Qualquer palpite será só um palpite. E vice-versa.

Share Button

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...