Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Posts Tagged ‘Barcelona’

PostHeaderIcon Madri Em Festa

Ninguém, em condições normais, tira o favoritismo do Barcelona contra qualquer adversário. Só que o favoritismo não significa vitória certa. Tanto que hoje o Barça perdeu sua 3ª partida em quatro. E eu assisti os 2 jogos contra o Atlético e a partida contra o Real, pelo Espanhol. Em nenhum destes jogos o clube catalão esteve perto daquele futebol envolvente e avassalador. E até as individualidades estiveram bastante ofuscadas. E o retrato perfeito dessa situação é o Messi, assustadoramente apagado nas últimas partidas.

Hoje o Barcelona foi eliminado pelo combativo e aplicado time do Atlético de Madri. No meio do 2º tempo, vendo o Atlético recuado e pressionado, cheguei a pensar que sofreria o mesmo castigo da semana passada, quando o Barça virou o placar. Mas a pressão do Barcelona foi pouco produtiva. O goleiro Oblak trabalhou menos que em condições normais. O trio MSN produziu muito menos que em condições normais. E, no fim, o juiz errou ao marcar uma falta no lugar de pênalti. Castigo para o Barça? Talvez, mas foi um castigo merecido. Bem merecido!!
atlético de Madri
O outro espanhol que avançou na UCL foi o Real. Graças ao talento do Cristiano. E aí volto àquela habitual crítica que ele sofre, de se omitir nas partidas decisivas!! Mas, como assim??? Quem inventou isso? Como alguns repetem essa conversa furada? Francamente, isso passa do ridículo. Ou estão misturando o lado pessoal com o profissional. Mas eu não me interesso pela vida particular do português. E pouco me importa se ele é egocêntrico e antipático. Quero saber é dentro de campo. E lá o Cristiano resolve. É decisivo! Ou vocês vão me dizer que o Real estaria em outra semi sem a presença dele? Estaria??

Não vi muito dos outros jogos da UCL. Mas eu esperava que o PSG avançasse, apesar de estar praticamente no mesmo nível do City. Só imaginei que o momento do time francês fosse melhor. Mas o equilíbrio é tanto que o City só avançou por ter feito um gol fora. Já o Bayern, era esperado. Mas o Benfica deu trabalho. Mais do que a maioria pensava.

Agora vou arriscar um palpite. Mas vou pular a semi e deixar meu favorito (ainda que a margem seja mínima) ao título. Arrisco que o Real leva outra orelhuda. A 11ª, se não estiver errando a conta.

* * * * *

Hoje teremos mais confrontos pela 5ª rodada da Libertadores. Nenhum clube brasileiro está voando baixo. Mas o Atlético e o Corinthians estão em situação confortável e não devem sofrer muito pra se classificar.

Dos times que ainda vão completar a 5ª rodada, o Grêmio, apesar de jogar fora, é quem tem a vida mais fácil. Passou 1 semana em Quito, se ambientando à altitude, e deve voltar com os 3 pontos. O São Paulo joga em casa, um Morumbi lotado. Mas o River é um adversário tradicional e deve dar trabalho. O favoritismo do SPFC é pequeno. Mas acredito que vença e encaminhe a classificação.

Por fim, temos o Palmeiras. Joga amanhã, pela 6ª rodada, contra o River uruguaio. Também acredito que vença. O problema é que isso não resolve muito. Ele precisa vencer e secar o Rosário Central. E eu não gosto muito de depender de terceiros. Não acho que o Palmeira possa se classificar pra 2ª fase. É melhor arrumar a casa e se concentrar no Paulista e Brasileirão.

Share Button

PostHeaderIcon Reverência ao Futebol

No último domingo tivemos mais uma conquista do Barcelona ao vencer o Mundial de Clubes sobre o River Plate por 3×0. A vitória reforça um ano maravilhoso do time espanhol que venceu quase tudo (faltando apenas a Supercopa da Espanha, perdida para o Atlético de Bilbao). Com 5 troféus em 2015 (Espanhol, Copa do Rei, Champions League, Supercopa da Europa e Mundial) já podemos colocar essa equipe treinada por Luis Enrique como uma das melhores de todos os tempos. Mas em que local ela se situaria na história?

Claro que ainda é difícil dimensionar isso de forma definitiva pois ela ainda está “na ativa”. A fome de conquistas parece que ainda não acabou e o time vem mantendo um ritmo intenso. Mas podemos já pensar como esse time pode se comparar com a equipe catalã treinada por Guardiola anos atrás. Esse time é mais incisivo, contando com três grandes craques na frente que monopolizam os gols da equipe. Messi, Neymar e Suárez (o craque do torneio) mostram um entrosamento incrível e com isso fazem o time de 2015 ser mortal no contra-ataque.

Mas em termos de domínio de jogo e ideias, o time que dominou o mundo do futebol entre 2009 e 2012 ainda é muito lembrado. O controle das partidas era ainda mais definitivo do que acontece atualmente por meio da posse de bola. As equipes adversárias entravam literalmente atemorizadas para enfrentar o time de Guardiola e ele realmente marcou época. Dizendo isso não quero diminuir o time de Luis Enrique, mas sem dúvida a ideia de jogo daquela equipe do “tiki-taka” era muito atraente. barcelona river plate bola parada

As duas equipes e os dois jeitos de jogar mostram porém o predomínio do time espanhol no futebol mundial atualmente. A administração do clube não é perfeita (inclusive em termos de idoneidade) como alguns tentam demonstrar muitas vezes em contraposição ao Real Madrid, numa rivalidade boba que aparece ainda mais fora da Espanha, com os “fãs de internet” de cada equipe. Mas é inegável que o clube catalão tem uma ideia muito mais clara do que quer para o seu presente e para seu futuro, sem deixar de reverenciar o seu passado, principalmente a sua fase holandesa com Rinus Michels e Johan Cruyff. E isso se reflete dentro do gramado, com uma equipe que joga ofensivamente e busca o gol acima de tudo.

Talvez só o Bayern de Munique se assemelhe hoje ao Barça no mundo na questão de força financeira, combinada a montagem de equipe e organização. Com a saída já definida por parte de Guardiola da equipe alemã, já foi contratado o substituto, Carlo Ancelotti. Não existe uma pressão exagerada como existe no Real. O time de Madrid vive uma intensa movimentação de estrelas dentro de campo que muitas vezes são contratadas sem maior critério e mesmo os treinadores vivem à mercê dessa aura de “time estelar” que prejudica a equipe madrilenha. Rafa Benítez parece ser a próxima vítima da roleta russa de treinadores dos merengues.

Enquanto isso o Barcelona se impõe como time dominante no planeta e faz isso de forma à reverenciar o futebol dentro do campo. Não tem como não aplaudir.

*****

Desejo à todos os leitores um Feliz Natal, com muita saúde, paz e tranquilidade! Voltaremos após o dia 25!

Share Button

PostHeaderIcon Talento e Competência

Quem se lembra do começo da temporada europeia de futebol, que se encerrou no último sábado com o título do Barcelona na UEFA Champions League, talvez não imaginasse um desfecho tão consagrador do time espanhol que iniciou sua caminhada sendo ofuscado por “La Decima” conquista continental do arquirrival Real Madrid em 2014. Além disso alguns atritos do novo técnico Luis Enrique com alguns astros da equipe quase colocaram em xeque a escolha do ex-jogador do clube para ser o novo treinador do time catalão.

Engraçado imaginar, depois da derrota do Barça para a Real Sociedad no começo do ano, qual seria reação da nossa mídia, que adora aumentar crises e fazer “contagem regressiva” para a derrubada de técnico. Luis Enrique teria se indisposto com Messi e isso poderia significar o fim de sua passagem pelo comando do time espanhol. Não que a mídia espanhola seja isenta na questão de fazer campanha para A, B ou C…Mas ao menos lá existe o pensamento de que uma temporada não se define apenas em duas derrotas seguidas e o clube teve o bom senso de manter o treinador para dar continuidade ao seu trabalho. barcelona juventus champions bola parada

Trabalho que teve de se iniciar com uma certa “remontagem” de filosofia. Com a presença de Suárez, ao lado de Neymar e Messi, o time se tornou muito mais vertical e incisivo, não dependendo tanto do toque de bola que marcou a gestão Guardiola. Mesmo com a presença da ótima contratação do croata Raktic, o Barcelona se transformou no time do ataque mortal e decisivo, que se mostrou mais uma vez fundamental na decisão de sábado contra a Juventus.

O time italiano mostrou muita qualidade em seu meio campo; Pirlo, Pogba, Marchisio e Vidal formam um grande quarteto e durante algum período do segundo tempo ameaçou verdadeiramente a vitória espanhola. Porém, apesar do grande trabalho do Massimiliano Allegri, faltou à Juve uma outra opção de velocidade no ataque, para poder incomodar mais os catalães. De todo modo o Barcelona, além de contar com uma boa estrutura defensiva – até mesmo com Mascherano na zaga, coisa que eu não gostava tanto, mas ele se mostra muito adaptado à posição – e um bom toque de bola no meio campo, sempre fica próximo a marcar devido a qualidade dos seus três homens de frente.

O título barcelonista é merecido e mostra que o talento sempre pode resolver. Mas para isso é necessário uma estrutura de equipe que sustente isso. E, mesmo que tenha levado um certo tempo durante a temporada para que isso fosse alcançado, Luis Enrique foi feliz em aproveitar uma base e fazer o simples na montagem de um time que já entrou para a história.

Share Button

PostHeaderIcon Audiência Burra, Polêmicas Vazias e Um Canal Fantasma

Mais uma vez falamos um pouco sobre a mídia esportiva e suas pisadas na bola, que são muitas. Elas são tantas que sempre temos de fazer novos textos a respeito.

É até fácil criticar a TV aberta na questão da transmissão dos jogos da Champions League. Se no Campeonato Brasileiro já temos de ficar reféns das intermináveis e repetitivas dobradinhas de jogos de Flamengo e Corinthians, no torneio europeu parece que só existem Barcelona e Real Madrid na disputa. Bandeirantes e Esporte Interativo insistem no pensamento de que vale mais ver qualquer jogo (bom ou ruim) que tenha Messi, Neymar ou Cristiano Ronaldo, do que uma partida mais relevante de outra grande equipe. messi cristiano ronaldo bola parada

Nessa quarta teremos um exemplo claro disso: A Bandeirantes, que já faz um transmissão de qualidade muito discutível da competição europeia (basta lembrar quem é o “comentarista” dos jogos…) preferiu transmitir Ludogorets x Real Madrid do que um jogo da qualidade de Atlético de Madrid x Juventus. Claro que o fator audiência, que tanto prejudica a qualidade média do que é exibido em nossa TV, pesa nesse aspecto, mas chega a irritar quem acompanha o futebol internacional sem se prender a uma equipe apenas.

O pior é que esse pensamento chega agora com ainda mais força na TV paga. A ESPN, que pelo menos por enquanto, possui os direitos de transmissão do torneio (voltaremos ao tema quando os envelopes forem abertos…), também preferiu o jogo do time de Cristiano Ronaldo, certamente por achar que teria mais audiência com isso. Com isso, o canal Sports +, aquele que só é da Sky (e ainda está no ar pela lentidão da justiça, já que não é permitido um canal ser programado pela própria operadora, o que é ilegal), será o único a transmitir o confronto entre “colchoneros” e “bianconeri”, privando assinantes de outras operadoras de assistirem a partida ao vivo.

Compreendo e sei do grande número de admiradores que Barcelona e Real Madrid (e também o Milan, que desta vez não disputa a UCL) possuem no Brasil. Mas muitas vezes chega a ser burra essa decisão de apenas querer agradar a maioria, se esquecendo da qualidade e da diversidade que a grande competição nos proporciona e que na maioria das vezes não é aproveitada pelas nossas emissoras.

*****

O que é aproveitado, requentado e realçado de forma quase que unânime pelas nossas emissoras esportivas é qualquer assunto que gere discussão, a chamada polêmica. Que na verdade muitas vezes é vazia. Vejamos o caso do Emerson Sheik do Botafogo. Foi até à câmera depois de um jogo, quis aparecer falando algo da CBF e…nada…Nem foi punido por isso, o que realmente seria errado, já que direito a se manifestar todos podem ter, mesmo para fazer e falar bobagem. Nem era o caso dele, a CBF é discutível sob vários aspectos, mas a forma que ele escolheu para fazer o “protesto” só serviu para ele ganhar os holofotes. Até o julgamento do jogador foi transmitido ao vivo pelo FOX Sports! A meu ver isso só mostra que a emissora tinha muito tempo sobrando na programação. Em que acrescentou esse espaço todo a um caso isolado de um jogador dentro do campo?

Outro caso que me chamou a atenção. O Palmeiras vencia o Figueirense por 1×0 e o meia Valdívia perdeu um gol. Depois, com a subsequente vitória do time catarinense, a discussão nos programas esportivos das TVs fechadas foi: se o Valdívia tivesse feito aquele gol, o Palmeiras não perdia o jogo! Claro que a chance de vitória do time paulista seria maior, mas resumir a discussão de um jogo a isso é de doer…emerson sheik valdívia bola parada

Parece que cada vez mais é importante para as TVs a figura midiática, aquele que pode gerar repercussão por alguma coisa que faça em campo, ou mesmo fora dele, que gere a repercussão, cliques no site, mensagens no twitter, etc. A discussão de temas relevantes, como por exemplo a ação da justiça desportiva fica para décimo plano. A análise do mérito de um time menor em vencer uma partida, como foi no triunfo do Figueira domingo, é feita na base da pressa. Salvo raras exceções, como a revelação Rafael Oliveira, ex-Esporte Interativo e agora nos canais ESPN, temos comentaristas que claramente não acompanham o futebol como um todo. Parece que apenas focam nos times pelos quais torcem e só prestam atenção em jogos e jogadores daquelas equipes.

Não digo que um debate deva apenas ter aspectos técnicos, mas tentar apenas aumentar alguns assuntos e tentar torná-los mais relevantes do que são na verdade é algo com o qual não consigo concordar.

*****

Mas enquanto vemos canais brigando por competições e torneios importantes, fazendo debates (bons ou ruins, mas isso é outra história…), lançando e acabando com programas, apresentando documentários entre outras coisas, o Bandsports (sim, lembra dele?) estava transmitindo hoje, no mesmo momento em que jogavam PSG X Barcelona pela Champions League o empolgante Campeonato de Ligas Amadoras de Futebol de São Paulo (!!!). É algo que depõe contra a imagem e com qualquer pretensão (se é que ela existe…) da emissora de crescer e melhorar. Ok, ainda possui um ou outro torneio interessante no tênis feminino (e no geral com Roland Garros, que acontece em maio, mas é reprisado o ano todo no canal…), tem o campeonato espanhol de basquete, o de carros de turismo alemão…e pouco ou quase nada mais…bandsports bola parada

Chega a ser vergonhoso realmente o estado de abandono que a Bandeirantes deixa seu canal esportivo, mas não é nada muito diferente do que ela faz com seu canal de notícias 24 horas…Fica complicado realmente pensar em crescimento se praticamente nada é feito para que o canal deixe de ser fantasma e só seja lembrado em situações como essa…

Share Button

PostHeaderIcon O Imediatismo no Banco

Após muitos rumores o Barcelona confirmou a demissão do treinador argentino Gerardo “Tata” Martino. Depois de uma temporada com apenas o título da Supercopa Espanhola contra o Atlético de Madrid, isso já no longínquo agosto do ano passado, o time catalão resolveu rescindir o contrato de 2 anos com o ex-treinador do Newell’s e da Seleção Paraguaia e contratar o seu ex-meio campista Luis Enrique que treinava o Celta de Vigo.

Sobre a troca de treinador em si, acho que é uma decisão compreensível devido à falta de resultados na temporada, mas temos de lembrar que Martino não treinou o SEU time, com suas próprias indicações e novas contratações. Ele herdou o trabalho que vem desde a época de Guardiola e que já dá evidentes sinais de desgaste pelo tempo. moyes martino bola parada

Com isso fica claro que a história de copiar a Europa e dizer que “lá dão tempo para o treinador trabalhar” fica cada vez mais no passado. Com cada vez mais donos endinheirados tomando conta de clubes do Velho Continente, fica bem complicado temporada após temporada vermos trabalhos verdadeiramente de longo prazo. Temos poucos exemplos como nos casos de Antonio Conte na Juventus e de Jurgen Klopp no Borussia Dortmund, que caminham para a quarta e quinta temporadas, respectivamente, em suas equipes. Mas eles só permanecem até hoje em seus cargos pois já começaram vencendo em times que vinham de períodos de baixa. Caso não conquistassem títulos em âmbito local provavelmente já teriam sido trocados, como aconteceu com David Moyes no Manchester United. Outro exemplo de trabalho de continuidade é o de Arsene Wenger no Arsenal, mas este é um caso à parte, do qual já falei nesse TEXTO. É algo que pertence à outra época do futebol, pois penso que será raro vermos alguém ficar tanto tempo em um mesmo time de forma contínua. luis enrique guardiola bola parada

No caso específico do Barcelona ainda existe a vontade de se remontar à chamada cultura “da casa” com o já mitológico “tiki-taka”, jogo que privilegia a troca de passes, ofensividade e a intensa movimentação. Os problemas para que isso aconteça, porém, são bem visíveis. Manter um mesmo estilo de jogo e tentar prolongá-lo num futebol de mudanças constantes, como ocorre nos dias de hoje, é algo bem arriscado. Ainda mais se isso for tentado sem a contratação de alguns reforços. O time catalão precisa, e não é de hoje, de um grande zagueiro, um volante de força física e pelo menos mais um grande centroavante. Além disso Luis Enrique, pelo menos até agora, não se provou como grande treinador, pois fez trabalhos apenas medianos na Roma e no Celta. Sendo assim é difícil cravar hoje se a troca barcelonista fará sucesso.

Pelo visto o futebol brasileiro conseguiu exportar a cultura imediatista de trocar treinadores. Por linhas tortas e razões diversas o que era visto como especialidade do nosso futebol se tornou algo corriqueiro no “sempre organizado” futebol europeu. Penso que o trabalho a longo prazo deve ser valorizado e não é porque virou moda trocar de treinador que isso deva ser visto como normal. Mas ao que tudo indica o imediatismo virou norma na hora de se avaliar o trabalho dos “professores”. Só falta agora a mídia europeia endeusar um interino quando ele ganhar duas ou três partidas, como agora acontece por aqui com Alberto Valentim, que ocupa o cargo de forma (até agora) passageira no Palmeiras. Mas isso é assunto para quando falarmos do Brasileirão…

Share Button

PostHeaderIcon O Brasileirão Burocrático

Amanhã começa o Campeonato Brasileiro de 14. Sabem como? Igual o Campeonato Maranhense e igual a 20ª rodada. Não existe nada de especial, evento ou pompa. A única surpresa pode ser uma liminar de algum clube querendo a vaga na Série A ou outra vantagem. Tirando isso, nada de novo. Tratam o maior campeonato do continente como se fosse mais um. É um desleixo por parte dos clubes, CBF, televisão, patrocinadores e até dos jogadores.

Todos os nossos clubes enaltecem seus departamentos de marketing e as ações que estes criam. Ações bem discutíveis, é fato. O mesmo vale pra CBF. Mas cada um cuida do seu rabo. O Brasileirão é de ninguém. Os clubes só jogam. A CBF tira o corpo e mal consegue organizar a tabela e fazer cumprir o regulamento. E a Globo apenas transmite as partidas. Pensar no campeonato como um produto, impossível. E não adianta usar a Copa como desculpa, o Brasileirão sempre começou e terminou de forma burocrática e melancólica.
clubes do Brasil
Não estou dizendo que um Brasileirão organizado de forma profissional vai resolver todos os problemas do nosso futebol. Mas também não vai prejudicar. Qual a dificuldade em ter uma marca, um mascote, uma abertura especial, shows, eventos, um programa oficial, sorteios, premiações, produtos, etc? Nada disto é inédito ou inviável de ser praticado. Basta um pouco de vontade. E vontade é algo raro de encontrar por aqui. Mas o comodismo está sobrando.

E depois vem gente chorando que nosso campeonato não é reconhecido e valorizado “nas Europa”. Mas é óbvio! Nem aqui ele é valorizado.

* * * * *

Não gosto muito de apontar favoritos (ou possíveis rebaixados) antes de assistir alguns jogos e conhecer melhor os times. Ainda mais quando muitos clubes costumam perder peças e trazer novos jogadores. Mas, já que isso é uma quase tradição, vou soltar meus palpites. Entre os favoritos meus indicados são:

1- Internacional
2- Cruzeiro
3- Santos
4- Atlético Mineiro
5- São Paulo
6- Corinthians
7- Grêmio
8- Flamengo
9- Palmeiras
10- Fluminense

Já os candidatos ao rebaixamento são:
Goiás, Figueirense, Vitória e Chapecoense. Mas eu sempre gosto de colocar um clube grande entre os candidatos ao rebaixamento. Ano passado eu falei (pros amigos) que o Vasco daria “fortes emoções” aos seus torcedores. E ele acabou caindo. Neste ano eu acho que os torcedores do Botafogo vão sofrer as mesmas emoções dos cruzmaltinos. Tudo caminha nesse sentido. O rebaixamento seria o resultado final de uma péssima gestão. E o Coritiba é outro que pode “emocionar” seus torcedores.

* * * * *

Crise no Barcelona não é igual a dos times “normais”. Mas a maionese desandou na Catalunha. Não só pelos resultados, mas pelo que o time vem jogando. Os motivos são muitos:
– O ambiente parece ruim,
– O elenco está envelhecido e desmotivado,
– Continuam as carências na zaga e no comando de ataque,
– O Tata Martino não encontrou o estilo ideal de jogo,
– Problemas na direção do clube.

Tudo isso tem conserto. Se a soberba deixar.

Share Button
1 2 »

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...