Arquivos
Busca
Nossa Newsletter
Bola Parada Feed

Destaques
Campeão Indiscutível

Campeão Indiscutível

Uma das maiores vantagens de um campeonato por pontos corridos é que o vencedor costuma ser indiscutível. A exceção, quando ocorrer, é mais por alguma ...

Veja mais

Quando o 100% Não é o Bastante

Quando o 100% Não é o Bastante

O futebol muda muito rapidamente em vários aspectos. Nenhuma fase boa dura para sempre, e nem um mau momento é eterno. Portanto, de modo geral, ...

Veja mais

Internacional na Libertadores 2006

Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é ...

Veja mais

O STJD e um alerta para alguns clubes

O STJD e um alerta para alguns clubes

O futebol brasileiro roda, roda, roda e continua cometendo os mesmos erros de sempre. Chega a ser cansativo! Mas novamente temos o STJD entrando em ...

Veja mais

Curtinhas do Mundo da Bola

Curtinhas do Mundo da Bola

A coluna de hoje vai ser no estilo curtinhas. E começo pela seleção brasileira. O Tite consegui 4 vitórias nos primeiros jogos e o Brasil ...

Veja mais

Fim de Uma Era

Fim de Uma Era

Depois de 22 anos o jornalista José Trajano foi demitido da ESPN Brasil na última semana. Após ser diretor do canal e responsável pela formação ...

Veja mais

Arquivos da seção ‘Vídeos de Futebol’

PostHeaderIcon Internacional na Libertadores 2006

É inegável que os colorados estão tendo um 2016 triste e frustrante. O Internacional vem colecionando derrotas e recordes negativos. Lutar contra o rebaixamento é muito pouco diante da grandeza do clube. Nem mesmo o desempenho razoável na Copa do Brasil atende a expectativa dos torcedores. Ainda mais pelo investimento feito e pelo custo do atual elenco. O resultado é desanimador. E a perspectiva pro ano que vem é uma incógnita. Muito em razão da eleição que se aproxima no clube.

Mas o Internacional já viveu dias mais felizes e vitoriosos. Um período que os colorados não esquecem e recordam com muita saudade. E este é o tema do vídeo que escolhi hoje: A campanha do Inter na Libertadores de 2006. São todos os gols, e mais a comemoração pelo título. Vale assistir!

Share Button

PostHeaderIcon Um Grande Repórter e Uma Grande História

Com um pouco de atraso registro aqui o falecimento do repórter e jornalista Geneton Moraes Neto, que aconteceu no dia 22 de Agosto. Geneton era um grande jornalista, que fez grandes entrevistas e reportagens, principalmente na TV Globo e na Globo News, principalmente relacionadas à temas políticos, como o caso Riocentro, no fim do regime militar e as entrevistas com os ex-presidentes brasileiros ainda vivos.

Mas lembro do trabalho de Geneton aqui pelo grande documentário que ele fez sobre a Copa de 50, observando a visão dos jogadores brasileiros que ficaram com o vice-campeonato Mundial. “Comício a Favor dos Náufragos” é uma grande
obra e merece ser vista, ainda mais em um país que tem tão poucos documentários de alto nível na área esportiva.

Deixo aqui uma entrevista de Geneton sobre o tema:

E o documentário na íntegra.

Share Button

PostHeaderIcon Francesco Totti, o Jogador Torcedor

Hoje voltamos com a seção de vídeos de futebol. E o escolhido desta edição é o atacante Francesco Totti, ídolo da Roma e de Roma. O Totti se enquadra naquela minúscula classe de torcedores jogadores. Eles são poucos, e vão rareando a cada dia. Aqui no Brasil o exemplo mais recente foi o Rogério Ceni; já aposentado. E o Totti também está perto da aposentadoria dos gramados.

Sei muito bem que o Totti não chega perto dos super craques de quem foi contemporâneo, como Zidane, Ronaldo, Rivaldo e cia. Talvez o Totti também fique um pouquinho abaixo do Bagio e Del Piero. Mas isso não é demérito algum. Nem tira o fato de ter sido um dos maiores atacantes que a Itália já produziu. Dentro da área era frio e calculista. Não se apavorava diante do goleiro. E também era extremamente eficiente nos chutes de longe e faltas. Um jogador praticamente sem falhas técnicas.

Totti só jogou pela Roma, desde 92. Quase sempre com elenco inferior aos rivais de Turim e Milão. Talvez por isso ele só tenha um título italiano (em 2001) e duas Copas da Itália (em 2007 e 2008). Sem esquecer da Copa do Mundo de 2006.

Fiquem com algumas jogadas históricas e belos gols de Francesco Totti:

Share Button

PostHeaderIcon Chato, Cobrador e Mito

Aos 42 anos de idade, 25 dos quais dedicados ao futebol e ao São Paulo, Rogério Ceni encerrou sua carreira. Nem é preciso esforço para garantir que ele tem seu nome gravado, com letras maiúsculas, na história do Tricolor paulista. E olhando os números frios, também posso afirmar que o Ceni marcou seu nome na história do futebol brasileiro e até mundial. Os números dele são eloquentes. Mas eu não gosto de números; vou falar de palavras. E algumas palavras acompanharam a carreira do Rogério Ceni.

1- Chato. Muitos usaram essa palavra pra definir o goleiro. Sim, o Ceni é chato. Chato pra treinar. E treinar além de sua função. Chato na dedicação à carreira que abraçou. Chato profissionalmente. E profissional de verdade. Chato o bastante para expressar suas opiniões e ser contundente.
Quem dera tivéssemos muitos outros chatos no futebol brasileiro.

2- Cobrador. Sim, o Ceni foi um exímio cobrador de faltas e um bom cobrador de pênaltis. Mas ele também cobrava de si mesmo. E cobrava o máximo de empenho dos companheiros, dos técnicos, da diretoria…
Quem dera tivéssemos muitos outros cobradores no futebol brasileiro.

3- Mito. Sem dúvida essa é a palavra preferida pelos torcedores do São Paulo. Mas muitos outros torcedores reconhecem a grandiosa carreira do Rogério, mesmo na condição de adversário.
Quem dera se todo torcedor tivesse um mito para chamar de seu. (Eu, felizmente, tenho).

Este vídeo é uma pequena amostra de tudo que o Rogério Ceni fez em sua longa e vitoriosa carreira:

Share Button

PostHeaderIcon Futebol Sem Base

Pífio e patético, como diria aquele comentarista da ESPN. Assim tem sido o desempenho recente das nossas seleções de base. O recém terminado Mundial sub-17 foi a prova cabal de que estamos no caminho errado. E a questão principal, pra mim, nem é ganhar ou perder o título. É a qualidade do futebol que praticamos. Ou a falta de qualidade.

Nem vou chegar aqui e passar a estatística dos jogos pra mostrar que nossa seleção teve tanto tempo de posse de bola, errou tantos passes ou deu X chutes ao gol. Não preciso fazer isso; e nem gosto. Eu vejo e analiso, a estatística só serve pra auxiliar. Ou pra corroborar. Mas, em casos evidentes, ela é até dispensável. E a péssima qualidade da nossa base é algo que grita aos olhos. É berrante!

Então resolvi buscar 2 vídeos que mostram campanhas antigas das seleções de base. O primeiro é do Mundial Sub-17 de 1997, no Egito. O Brasil não tinha uma safra muito boa, exceto pelo Ronaldinho Gaúcho. O Brasil venceu todos os jogos, incluindo a final contra Gana.

O outro vídeo é do Mundial Sub-20 de 2001, na Colômbia. O Brasil contava com Kaká, Adriano, Luisão e o Maicon. Mas abusava das bolas levantadas na área. Ainda assim chegou até a semifinal, quando foi eliminado por Gana. Na final os ganeses perderam para a Argentina.

Share Button

PostHeaderIcon Saudosismo Explícito

Ainda quero falar um pouco sobre o atual estágio da seleção e do futebol brasileiro. Acho que todos reconhecem o fato, e muitos sabem as causas. Mas quase ninguém age pra reverter o cenário nebuloso e decadente.

Aqui no Bola Parada já abordamos o assunto em muitos momentos. Nossa insistência não é sinal de implicância ou chatice. É que o problema é grave. E fica mais grave ainda aos olhos daqueles que, como eu, já viram momentos mais gloriosos de nosso futebol. Cresci vendo um futebol bem jogado, seja nos clubes, seja na seleção. Então me incomoda demais ter que aceitar a mediocridade atual. E muito mais aceitar as desculpas pra esse futebol pobre e feio. Desculpem, mas não consigo.

Logo irão começar as eliminatórias pra Copa de 18. E mesmo com 5 vagas, a seleção brasileira vai sofrer pra se classificar. Coisa impensável em outros tempos. Mas não vou escrever muito e repetir meus argumentos. Vou exibir alguns vídeos. O primeiro é pelas eliminatórias da Copa de 82, uma partida entre Brasil e Venezuela. Atentem para o último gol, do Júnior. Ele marcou um gol muito parecido durante a Copa da Espanha.

Antes que algum leitor venha me dizer que escolhi um adversário (outrora) fraco, vou exibir um 2º vídeo. Este jogo é entre Brasil e Argentina, pela Copa América de 79. Sendo que o time titular da partida ainda estava longe daquele que conquistou corações e mentes em 82.

Não acredito que veremos cenas parecidas tão cedo. Talvez nunca voltemos a ter a supremacia no futebol mundial. Não sei dizer. Mas já passou da hora de acordar pra realidade. E o torcedor tem a obrigação de exigir isso.

Share Button

  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...