Arquivos
Busca
Nossa Newsletter
Bola Parada Feed

PostHeaderIcon Resumo de Seleção e Brasileirão



Depois de um tempo estamos de volta aqui no Bola Parada. Após a Olimpíada do Rio de Janeiro a Seleção Brasileira jogou duas vezes pelas Eliminatórias da Copa do Mundo na estreia do técnico Tite no comando do time nacional. As duas vitórias deram um grande alívio no torcedor brasileiro e colocaram novamente o Brasil entre os 4 classificados diretamente para a Copa de 2018 na Russia. Mas o oba-oba visto depois dos jogos contra Equador e Colômbia ainda é um pouco exagerado.

No jogo em Quito, o Brasil só saiu na frente depois de fazer um gol de pênalti e ver um jogador adversários expulso. Contra a Colômbia o time saiu na frente, tomou o empate e passou por um período modorrento de jogo até Neymar fazer o gol da vitória. Ou seja ainda é um pouco cedo para dizer que tudo foi resolvido. Porém alguns sinais são animadores de fato.

O time brasileiro mostrou uma mobilidade interessante, coisa que não era tão vista na época de Dunga. A presença de Casemiro no meio campo deu uma maior segurança à defesa, ainda que ele já estava começando a ser escalado com o ex-treinador. A volta de Philippe Coutinho, sendo mais usado na equipe (apesar de ainda ser reserva) é interessante. Gabriel Jesus não sentiu tanto o peso da camisa da Seleção e mostrou qualidade técnica para atuar em mais oportunidades, ainda que seja cedo para colocá-lo num patamar tão elevado como alguns já está fazendo. brasil colômbia bola parada

Mas o que mais chama atenção no time brasileiro é uma maior coesão tática, coisa não vista com Dunga e que já era esperada com Tite. O que incomoda é a visão quase messiânica que colocam no ex-treinador do Corinthians, como se ele fosse capaz de resolver todos os problemas do nosso futebol. Penso que o futebol que a Seleção joga (ou pode vir a jogar) ainda não é diretamente ligado ao que vemos, por exemplo, no Campeonato Brasileiro. Então não dá para ficar tão otimista no todo.

Como dissemos em outros textos por aqui, a Seleção pode (e deve) melhorar, mas ainda é pouco para que o futebol brasileiro tenha se livrado de momentos ruins e de baixa qualidade como vimos nos últimos tempos. Ainda é preciso mais trabalho e outras atuações de mais qualidade para que a euforia se justifique.

*****

Falando do nosso quintal, o Brasileirão, depois de estupidamente não ser interrompido durante as Olimpíadas, já chegou naquela fase de delimitação de quem vai brigar pelo que. América e Santa Cruz dão pinta de já estarem rebaixados. Na parte de cima, Palmeiras, Flamengo e Atlético/MG pintam como times mais fortes para a disputa pelo título, e ainda é imprevisível dizer quem pode chegar na frente, apesar do time paulista ter um elenco mais recheado e ter um desempenho mais linear dentro e fora de casa, coisa que, por exemplo, falta ao time das Minas Gerais. grêmio palmeiras brasileirão bola parada

Corinthians, Santos e Grêmio ficaram um pouco para trás, mas ainda podem chegar mais à frente, principalmente o time santista que, para mim, ainda joga o melhor futebol, com toque de bola e qualidade técnica de modo geral. Porém com muitos desfalques andou tropeçando de forma quase que irreversível para chegar à taça.

A grande (e positiva) surpresa foi a reação do Botafogo. A coincidência em relação à saída de Ricardo Gomes para o São Paulo pode dar a impressão de que a entrada de Jair Ventura no comando técnico tenha resolvido tudo. Mas penso que, para as pretensões do alvinegro carioca, o trabalho de Ricardo era bom. A chegada de reforços, principalmente Camilo, somados à um ambiente mais tranquilo, apesar dos problemas financeiros e a própria base deixada pelo ex-treinador (limitada, mas organizada), fez com que o time reagisse no campeonato.

São Paulo, Cruzeiro e Internacional são decepções, mas que ainda podem reagir e evitar a queda. Os erros no time paulista são tantos que merecem um post exclusivo em outra ocasião. Esses erros são acumulados desde 2010 em problemas de gestão de futebol que culminaram na situação atual. Assim como na situação do time gaúcho, que se gaba a algum tempo de ser sempre favorito a todo Brasileirão (mas segue sem vencê-lo a algum tempo). O Cruzeiro sofre com uma transição errada depois do bicampeonato e paga o preço de tantas trocas de treinador.

O que fica claro é que não temos 12 times candidatos ao título a cada campeonato que se inicia. Existe uma diferença grande entre expectativa e realidade e muitos ainda não se deram conta disso. Voltaremos ao tema.

Share Button

2 Respostas para “Resumo de Seleção e Brasileirão”

  • FABIOTV disse:

    Olá, tudo bem? Percebi a falta de atualização do blog. Pensei que seria mais um espaço que seria desativado. Fico feliz com o retorno. Abs, Fabio http://www.tvfabio.zip.net

  • Marco disse:

    Fábio, foi só um período complicado pra gente publicar. Mais por minha culpa. Mas já estamos retomando as atividades.
    No pique! Já diria aquele apresentador.


  • Enquete

    • Qual clube corre mais risco de rebaixamento?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...