Crea sito
Arquivos
Busca
Nossa Newsletter
Bola Parada Feed

Destaques
Pequeno Resumo Dos Estaduais (E Mais Racismo Com Hipocrisia)

Pequeno Resumo Dos Estaduais (E Mais Racismo Com Hipocrisia)

O mais impressionante das finais estaduais é que, tirando o PVC, que diz conseguir assistir mais de um jogo ao mesmo tempo com quase a ...

Veja mais

A Hora das Semi-finais da Champions

A Hora das Semi-finais da Champions

Depois de grandes quartas-de-final, temos agora as semifinais da UEFA Champions League definidas. Nos palpites anteriores, cravei a passagem do Atlético de Madrid que, além ...

Veja mais

11 Mais Belas Jornalistas Esportivas

11 Mais Belas Jornalistas Esportivas

Volto com mais uma edição de 11 na Lista. Ou 11 Melhores, ou Top 11... Acho que não escolhemos um nome muito criativo. Mas já ...

Veja mais

Gols do Brasil na Copa de 82

Gols do Brasil na Copa de 82

A Copa está quase chegando. Mesmo sem 90% das obras para melhorar o transporte e as comunicações nas cidades sede. E mesmo com alguns estádios ...

Veja mais

Esporte + Humorismo = – Jornalismo

Esporte + Humorismo = - Jornalismo

Volto a falar do jornalismo esportivo, ou do que se convencionou a chamar assim mas que, na verdade, ultimamente se parece mais em alguns casos ...

Veja mais

Zico, O Inatacável

Zico, O Inatacável

Nenhuma pessoa é 100% boa ou 100% ruim. Todos nós temos qualidades e defeitos. Partindo destes princípios, não quero fazer uma crítica pessoal nesta coluna ...

Veja mais

PostHeaderIcon Pequeno Resumo Dos Estaduais (E Mais Racismo Com Hipocrisia)

O mais impressionante das finais estaduais é que, tirando o PVC, que diz conseguir assistir mais de um jogo ao mesmo tempo com quase a mesma atenção, e mais algum diretor de TV mais fanático, é impossível conseguir acompanhar mais de uma partida com plena atenção. Por causa do regionalismo cada vez mais embutido em nosso futebol (algo irônico, justamente em um tempo em que os estaduais são tão achincalhados pela maioria) e pela neurótica busca pela audiência das TVs, todos os jogos são empilhados no mesmo dia e horário. O último ano em que me lembro das finais em dias diferentes foi o de 2000. Não seria nada mal dividirem as partidas, colocando algumas no sábado por exemplo. Mas pelo visto isso é uma utopia de minha parte. ituano santos bola parada

Como não vi todos os jogos falo mais da partida que assisti. Penso que o Ituano venceu o título paulista com méritos. Soube montar um esquema eficiente e, quando conseguiu tocar a bola, principalmente com os meias Jackson Caucaia, Cristian e Esquerdinha, mostrou uma boa qualidade. Não é um time que vai entrar para a história, mas dentro do regulamento, soube jogar com paciência. Porém, talvez nem o técnico Doriva fique em Itu para uma possível manutenção do trabalho; tudo indica que será uma equipe efêmera, pois boa parte dos jogadores deverá sair para clubes maiores. É a lei do mercado no futebol, infelizmente.

O Santos, elogiado por mim em outra coluna, não pode ser criticado por tentar ser ofensivo. Osvaldo de Oliveira tem o mérito de ter tentado manter o estilo de toque de bola e pressão no ataque. Mas mesmo na semifinal contra a Penapolense, o time mostrou um grande nervosismo, além de não ter grandes alternativas no meio campo para tentar mudar o controle do jogo. Contra o time de Penápolis venceu pois a partida virou um grande “ataque contra defesa”, mas contra o time de Itu isso não foi possível. Pedro Castro e Serginho, jovens campeões da Copa São Paulo deste ano poderiam ser jogadores de meio campo mais testados durante o campeonato para tentar dar mais qualidade ao passe da equipe.

Além disso uma peça que não se encaixou no time até agora foi Leandro Damião. Me parece que Osvaldo de Oliveira se sentiu quase que obrigado a escalar o ex-centroavante do Inter, que na verdade nunca foi um virtuose com a bola nos pés. O time muitas vezes perdeu velocidade e não foi o mesmo dos melhores momentos do campeonato. A frustração é grande mas acho que o Santos tem como se manter como um dos possíveis candidatos a fazer uma boa campanha no Brasileiro, desde que se reforce na defesa e possa criar alternativas em seu estilo de jogo.

*****

Nos outros principais campeonatos as polêmicas de arbitragem chamam muito a atenção da mídia e da torcida, mas não vu focar nelas, pois fica muitas vezes o jogo da TV contra o jogo do campo. Penso que utilizar a ajuda eletrônica para lances duvidosos é um caminho para o qual o futebol pode caminhar, pois é claro que o olho humano não consegue dar conta de muitos lances que acontecem dentro de campo. Mas tentar ficar falando de “complô”, “roubo” e outras teorias, sem provas, não leva a nada. flamengo vasco bola parada

No Rio de Janeiro o Vasco melhorou em relação ao ano passado, mas não tanto quando parte da mídia já tentava alavancar. É um time esforçado, que pode ir bem na Série B, mas ainda está longe de vôos mais altos. O Flamengo também não pode comemorar muito, pois ainda é uma equipe que corre mais do que pensa com a bola nos pés (a saída do Elias foi prejudicial ao time). Em Minas o Cruzeiro tem um elenco mais homogêneo que o do Atlético e, mesmo com equilíbrio nos jogos finais, mostrou sua superioridade atual.

No Rio Grande do Sul o Inter passa a impressão de que será mais competitivo neste ano. Tem um time com menos badalação, mas com mais organização, começando pelo banco com o Abel. O Grêmio que vem bem na Libertadores ainda não é a “melhor equipe da última semana no Brasil” como alguns apressados palpiteiros já começaram a eleger. Mas tem um trabalho em andamento com o comando do Enderson Moreira. márcio chagas racismo bola parada

Mas o que me chamou a atenção no estadual gaúcho foi a punição dada ao Esportivo de Bento Gonçalves pelos atos racistas sofridos pelo árbitro Márcio Chagas da Silva. O time do interior perdeu 9 pontos na tabela e foi rebaixado (ainda cabendo recurso). É um assunto até para ser debatido com mais tempo em outra coluna, mas as perguntas que ficam são:
- O autor do ato racista foi preso, ou está andando livremente por aí e se achando “o tal” por ter criado toda essa celeuma?
- Será que as leis anti-racismo no Brasil só valem para o futebol, onde a repercussão é maior?
- Será que se fosse um time grande envolvido na história, ele sofreria a punição com a perda de pontos?

Enquanto estas questões não são respondidas esperamos, já que virou moda, mais um ato racista em nosso futebol (e mais uma dose de hipocrisia que sempre aparece junto com ele…).

Share Button

PostHeaderIcon A Hora das Semi-finais da Champions

Depois de grandes quartas-de-final, temos agora as semifinais da UEFA Champions League definidas. Nos palpites anteriores, cravei a passagem do Atlético de Madrid que, além do fato de ter um bom e aguerrido time, contou com uma fase de declínio do atual time do Barcelona, que ainda possui muitos talentos, mas tem carências claras em seu elenco. O Chelsea soube usar o mando de campo para reverter um confronto complicado contra o PSG. O Bayern de Munique teve mais dificuldade do que o esperado, mas soube ter calma para vencer o Manchester United. O Real Madrid por sua vez, adiantou bem a classificação no jogo de ida contra o Borussia Dortmund e, mesmo com a pressão na Alemanha e sem Cristiano Ronaldo, conseguiu avançar.

champions-league13-14Com isso temos um quadro com duas grandes partidas nas semifinais. Mas não me furto em dizer que Real Madrid x Bayern poderia ser a final do torneio. São as equipes que jogam um futebol mais completo e ofensivo e a meu ver poderiam estar em Lisboa para a decisão. Mas assim como aconteceu na Liga Europa, em que Juventus x Benfica farão uma “semi-final com cara de final”, sorteios existem para quebrarmos a cara muitas vezes.

Sendo assim, vamos aos palpites…

REAL MADRID X BAYERN DE MUNIQUE: Cristiano Ronaldo ainda faz a diferença para o Real Madrid. Será fundamental que ele esteja em condições de atuar no confronto. Sem ele o time até conseguiu ter alguns bons momentos contra o Dortmund, com Bale e Di Maria tentando conduzir o ataque, mas inegavelmente não é a mesma coisa. Além disso a defesa precisa falhar menos, mas isso é sempre algo imprevisível quando um time conta com o indecifrável Pepe. Que segredo tem esse cara para ser titular há anos de um time como o Real Madrid, sendo um jogador tão medíocre? Apesar disso, o time espanhol é forte, mas para ter chance precisa reverter o mando do Bayern.

Guardiola tentou escalar um time mais leve no meio campo contra o Manchester United, mas a falta de Schweinsteiger foi sentida, além de Javi Martínez que estava suspenso. Thiago Alcântara machucado também fez falta e esse continuará de fora. Mesmo não sendo a preferência clara de Pep, o “9″ de verdade Mandzukic vem provando jogo a jogo a sua importância, e foi fundamental contra o United. Pelas opções que possui, creio que o time bávaro leva vantagem no duelo. PALPITE: BAYERN DE MUNIQUE

ATLÉTICO DE MADRID X CHELSEA: Mesmo sem Diego Costa no jogo decisivo contra o Barcelona, o time de Diego Simeone pressionou no início e tentou abrir logo vantagem, o que conseguiu com o gol de Koke. Raul Garcia retornando à equipe foi peça fundamental, pois é o elo do meio campo com o ataque. O ex-santista Diego também tem ajudado quando entra no segundo tempo. E a defesa com Miranda, Godín e Courtois (que poderá jogar, mesmo sendo vinculado ao Chelsea) em grande fase tem garantido o ótimo desempenho do time espanhol. Só que desta vez ele terá de definir sua vida fora de casa, justo em Stanford Bridge, onde José Mourinho só perdeu 1 jogo como técnico do Chelsea em suas duas passagens (justamente nessa UCL contra o Basel).

Mourinho sofre com a falta de efetividade do seu ataque, que até respondeu “no abafa” final contra o PSG com o gol de Demba Ba. Mas no geral, apenas Eto’o tem ido melhor nos grandes jogos. No meio campo David Luiz tem ido bem como volante, mas o time se ressente de não poder usar Matic, que já atuou pelo Benfica nesta temporada. A defesa se acertou mais com Cahill e Terry e o time, mesmo com muitos jovens no meio (Hazard, Oscar, William, Schurrlle) se mostra com potencial de crescimento. Mas a fase dos “colchoneros” de Madrid impressiona. PALPITE: ATLÉTICO DE MADRID

Share Button

PostHeaderIcon 11 Mais Belas Jornalistas Esportivas

Volto com mais uma edição de 11 na Lista. Ou 11 Melhores, ou Top 11… Acho que não escolhemos um nome muito criativo. Mas já foi. A lista de hoje é pra lá de interessante. Maravilhosa pra ser exato. E bem diferente das listas anteriores, com jogadores que não vingaram, piores narradores, piores comentaristas… Esta lista é com as 11 mais belas jornalistas e apresentadoras esportivas. Um colírio no meio de um monte de jornalistas carecas, gordos e feios. Um alívio para o fã de esportes. E, sendo uma lista tão especial, algumas das beldades entram com foto. Basta verificar no nome.

Eis as 11 mais belas jornalistas esportivas, selecionadas, criteriosamente, por mim e pelo Alexandre:

  • Paloma Tocci – Essa é quase hors concours. É impossível fazer uma lista de belas sem citar a musa da Band. Só lamento que ela não seja melhor aproveitada na emissora.
  • Marina Ferrari – A Marina é outra que apareceu na Band. Mas andava escanteada. Acabou levando seu charme e doçura pra Murdoch Esportes – também conhecida como Fox Sports.
  • Juliana Rios – Outra bela figura da Raposa Esportes. A Juliana é bonita, simpática e boa repórter. Não precisa de mais nada, tá na nossa lista.
  • Mirelle Moschella – Mimi, segundo o Alexandre. Bela jornalista da Band Sports. Já que o canal tem pouco pra se assistir, fico com a Mirelle.
  • Marcela Rafael – Uma das poucas mulheres no “clube do Bolinha” – também conhecido como ESPN. A Marcela Rafael reúne beleza, simpatia e competência. Não fica feia nem de óculos.
  • Daniela Boaventura – Acho que vi uma gatinha. Sim, amigos da Fox Sports, é a Daniela Boaventura, a gata loira que saiu do jornalismo geral e foi embelezar a editoria de esportes. Uma gigantesco ganho estético.
  • Larissa Erthal – A Larissa começou no EI e agora está na Band Rio. É o sonho de 10 em cada 9 telespec do Jogo Aberto. Uma super gata. Mas não é só bela, tem conteúdo. Maravilha, Alberto!
  • Leticia Renna – A Letícia é da terra do pão de queijo. E também combina simpatia, beleza e capacidade. Pena que foi desprezada pela Globo MG e não foi muito longe na Band.
  • Helena Calil – A Helena é do time de gatas da Fox Sports. Um belo time por sinal. E ela leva a medalha de bronze. Não o bronze metal, falo do bronzeado. Tá sempre em dia.
  • Juliana Veiga – A Juliana eu lembro desde que apareceu na Band. Muito interessante. Agora defende as cores da ESPN, com muita elegância e charme. E uma bela voz.
  • Aline Dale – A Aline é uma das poucas coisas agradáveis no Esporte Interativo. Até quem não gosta de MMA perde alguns minutinhos assistindo a gata morena.

Nossa lista não está em ordem, seria muito difícil ranquear tanta beleza. O mais importante é salientar e apreciar a beleza destas jornalistas e apresentadoras.
Sem tiverem alguma outra sugestão, deixem a mensagem nos comentários.

Share Button

PostHeaderIcon Gols do Brasil na Copa de 82

A Copa está quase chegando. Mesmo sem 90% das obras para melhorar o transporte e as comunicações nas cidades sede. E mesmo com alguns estádios sendo terminados nas coxas. E, infelizmente, com alguns operários perdendo a vida na pressa de entregar as obras fora do prazo (e eu disse fora mesmo). Era bem previsível. Qualquer pessoa sensata sabia que fariam assim. Paciência…

Mas vou deixar estes problemas de lado e cuidar do campo & bola. Esta parte é mais interessante. Especialmente por estar tratando da melhor seleção que vi jogando, a de 82. Era bem garoto, mas foi marcante. Ainda mais pela derrota trágica contra a esforçada Itália de Dino Zoff e Paolo Rossi. Aprendi que o futebol não tem lógica e pode ser cruel. Infelizmente.

Outro dia eu revi a partida que eliminou o Brasil (Itália 3×2), na ESPN. Foi muito interessante, principalmente pela participação do Falcão, em fase excepcional. Mas aqui eu escolhi um vídeo com os melhores gols da seleção brasileira de 82. Confiram os gols, mesmo não sendo inéditos. São históricos.


mais belos gols do Brasil na Copa de 82

Share Button

PostHeaderIcon Esporte + Humorismo = – Jornalismo

Volto a falar do jornalismo esportivo, ou do que se convencionou a chamar assim mas que, na verdade, ultimamente se parece mais em alguns casos com programas humorísticos.

Talvez eu esteja ficando velho ou mais chato do que já sou normalmente, mas não consigo identificar vantagem nessa onda de bom humor exagerado e forçado que estamos vendo nos programas de futebol de modo geral. Falo que esse movimento é forçado pois não consigo achar que todas essas risadas e piadinhas internas sejam naturais; soa como algo falso e exagerado, numa busca exagerada por audiência e público novo. Para os mais jovens isso pode ser um atrativo, mas para mim é algo que resvala no mau gosto.

Quem gosta de futebol quer ver um bom debate, não uma sequência interminável de risos e piadas muitas vezes imbecis. Não digo com isso que um programa de esporte deva ser uma apresentação de tese de doutorado, mas alguma postura de seriedade deve ser mantida no meu modo de entender. O que é mais impressionante é vermos que esse estilo cheio de brincadeirinhas e bobagens invadiu a TV fechada que, teoricamente, deveria ser um local de maior qualidade e cuidado no que é veiculado. bate bola palhaçada bola parada

Conseguiram acabar com o Bate-Bola da ESPN, por enquanto, principalmente na sua terceira edição. Rodrigo Rodrigues até que é um bom apresentador mas ele, junto com o comentarista (ou seria humorista frustrado?) Alexandre Oliveira, infelizmente assumiram os personagens de “dupla dinâmica do humor sem graça” e transformaram o programa numa bobagem completa, ainda mais com as fotos de celular para postar na internet sendo quase pautas do programa. O mesmo ocorre no Futebol no Mundo da mesma emissora, onde os apresentadores ficam mais tempo rindo entre si do que apresentando o antes bom programa sobre futebol internacional. No Fox Sports outro dia mesmo o apresentador Benjamim Back apareceu vestido de Batman, ou seja, não será surpresa se outras fantasias desagradáveis vierem por aí. Por incrível que pareça o Sportv, que é da Globo, sempre muito criticada pelo estilo do “novo Globo Esporte” está mais contida nesse tipo de apresentação fanfarrona, ainda que adote o estilo de “reportagem musicada”, aquele tipo de matéria que sempre têm uma trilha sonora de fundo, para que o repórter quase sempre tente dar um tom irônico ao que fala.

(Só para deixar claro: Citei o nome dos apresentadores do Bate-Bola e o Fox Sports Rádio, mas sei que é algo que vem de cima, das direções dos canais. Os apresentadores e comentaristas que se sujeitam à isso ficam marcados por colocarem a cara no ar, mas o problema vai além deles; é a linha de conduta quase que geral hoje em dia).

Até mesmo José Trajano durante um dos últimos Linha de Passe deixou clara a sua insatisfação ao mostrar a diferença entre uma matéria investigativa como a feita pelo Lúcio de Castro sobre a situação da Confederação Brasileira de Vôlei com o estilo cada vez mais boboca de vários programas esportivos. Ele não citou nomes de atrações mas, para quem sabe ler, um pingo é letra.

O mais incrível é que tem gente dentro da própria imprensa que acha que está tudo bem e o mais impressionante, acha que o Esporte Interativo, com sua “super audiência” (ironia da minha parte), influenciou esse estado de coisas. Vejam o que o Vitor Sergio Rodrigues escreveu em suas mídias sociais: “Em 2007, o Esporte Interativo nasceu para mostrar esporte com responsabilidade, mas de forma descontraída, como um entretenimento. Levamos porrada de todo lado. Hoje vejo que a busca por tratar de esporte com descontração e leveza, sem perder a responsabilidade, virou moda, inclusive na TV fechada! Ou seja, até na ‘rigidez’ da TV fechada, supostamente para um público que não que descontração, virou lei tratar o esporte como um entretenimento. Admito que dá orgulho fazer parte desta história, mesmo levando muita crítica de quem demorou a entender o que buscava o E+I…” benjamim back fox sports bola parada

Não é porque virou moda é que virou algo bom fazer os “minutos Larissa Riquelme”, sair gritando no meio de uma discussão, ou ficar mais de 10 minutos fazendo piada com o colega da bancada. Dizer que que não gosta desse tipo de atração não gosta de descontração é uma generalização. Apenas gosto de futebol em canal de esporte; se quiser dar risada vou ver um seriado de humor em outra emissora. Não penso que é função do jornalista esportivo tentar ser engraçadinho o tempo todo. Além disso, o Vitor Sergio dizer que o EI influenciou nesse tipo de comportamento é ser muito otimista ou puxa-saco de onde trabalha. Conheço várias pessoas que gostam de esporte e NENHUMA até hoje citou o Esporte Interativo como sendo um grande canal. Pode agradar uma parcela de público mais adolescente, mas em termos de repercussão geral é um canal ainda incipiente.

Além disso, quem é jornalista de verdade, como o Vitor Sergio até é (quando não se deixa levar pelo excesso de palhaçada reinante no canal em que trabalha) deve se preocupar com esse estágio de humorismo que vemos na TV esportiva. Logo logo ele pode ser substituído pelo Tiririca, pois pior do que está, muitas vezes, fica sim.

Share Button

PostHeaderIcon Zico, O Inatacável

Nenhuma pessoa é 100% boa ou 100% ruim. Todos nós temos qualidades e defeitos. Partindo destes princípios, não quero fazer uma crítica pessoal nesta coluna e sim analisar o comportamento da mídia a respeito de um personagem.

Zico foi um grande jogador. Também não vou entrar no mérito de dizer que ele jogou mais ou menos, ou se ganhou tanto quanto A, B ou C, até porque não o vi atuar tanto ao vivo dentro de campo. Mas por tudo que já li, ouvi e vi em alguns vídeos, de fato ele foi um ótimo camisa 10 no Flamengo, no Japão e na Seleção Brasileira.

Já perto da aposentadoria, pois depois que fez festa de despedida no Flamengo voltou a jogar pelo Kashima Anthlers do Japão, ele foi secretário de esporte do governo Collor, um pré-ministério à época. Quem acompanha um pouco de política deve saber que Fernando Collor não é a melhor companhia para quem quer fazer algo sério pelo país. Depois de parar de atuar e ir administrar seu clube no Rio de Janeiro, foi trabalhar como coordenador técnico da Seleção Brasileira na Copa de 1998. Seleção administrada pela CBF de Ricardo Teixeira, que o havia processado no começo dos anos 90 por críticas à criação da Copa do Brasil no início da gestão Teixeira. Este LINK da Folha de São Paulo de 1998 explica um pouco a situação. Eu teria muitas reservas em trabalhar junto com quem era meu inimigo até outro dia.

Depois de dizer que não tinha interesse em ser treinador, assumiu a Seleção do Japão onde fez um trabalho razoável antes da Copa de 2006 e péssimo durante o torneio, sendo eliminado na primeira fase. Logo após rodou por vários times europeus sem grande sucesso. Em 2010 foi diretor executivo de futebol do Flamengo e saiu depois de poucos meses no cargo, inclusive sofrendo algumas acusações (não provadas, justiça seja feita) sobre sua conduta (veja o LINK). Na semana passada ele participou de um evento da FIFA, ajudando na promoção da venda de ingressos para a Copa do Mundo. Nada contra, cada um faz o que bem entende e usa o seu prestígio da forma que lhe convier. zico bola parada

O que me chama a atenção é que algumas pessoas são bem mais suscetíveis a serem criticadas por uma ala da imprensa. Imaginem se, por exemplo, o Pelé tivesse feito todas essas atividades e cometido esses vários equívocos (no meu modo de entender) como ex-atleta (junto aos que ele mesmo já cometeu pois, só para deixar claro, não estou defendendo o Sr. Edson). Nem precisamos ir tão longe, basta vermos o “papagaio de pirata” da foto ao lado, o Bebeto. Não sou fã dele, mas só por aparecer em eventos da FIFA já foi ridicularizado por muitos. Zico, pelo contrário, parece ser imune a qualquer crítica. Parece já ter sofrido um processo de canonização em vida. Sempre é bajulado em todo e qualquer programa de TV que aparece e é pouco questionado por assuntos em que outros são mais cobrados.

O que sai na imprensa muitas vezes é lei para quem assiste ou lê. Muitas vezes cria-se um mundo em que existem os bons e o maus e quem está no primeiro grupo não erra. Não estou defendendo uma “cruzada” contra o ex-camisa 10 da Gávea. Só percebo como a indignação e o espírito crítico de alguns jornalistas é bem seletivo e segue à risca aquele velho ditado: “para os amigos tudo, para os inimigos os rigores da lei”. E enquanto estiver bem de amigos (sem trocadilho) Zico segue sendo imbatível na arte de não sofrer críticas.

Share Button
Página 1 de 2212345...1020...Última »



  • Enquete

    • Qual seu favorito para a Copa de 14?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...