Get a site
Arquivos
Busca
Nossa Newsletter
Bola Parada Feed

Comentários recentes
Destaques
Larissa, a Gata, Erthal

Larissa, a Gata, Erthal

Parem as máquinas!! Tirem as crianças da sala!! Temos um reforço no time de Musas do Bola Parada. Um reforço de peso; peso certo, obviamente. ...

Veja mais

Conceitos Pela Metade

Conceitos Pela Metade

Em tudo no mundo, o rótulo é muito importante para se definir algum produto. Através dele podemos já ter uma ideia de como é algo, ...

Veja mais

Ladrões e Incompetentes

Ladrões e Incompetentes

Não costumo perder tempo falando de arbitragens. Nem gosto quando os programas esportivos perdem horas analisando erros. E são tantos erros! Hummm... E esse debate ...

Veja mais

Consistência x Insistência (e Algumas Cornetadas na Mídia…)

Consistência x Insistência (e Algumas Cornetadas na Mídia...)

Não gosto de endeusamentos. Acho que todos os profissionais, por melhores que sejam, possuem seus defeitos. Mas temos de reconhecer quando alguém se destaca em ...

Veja mais

Bons e Maus Exemplos

Bons e Maus Exemplos

Vou aproveitar estes dias de ócio momesco e tratar de alguns fatos envolvendo futebol e administração esportiva. O primeiro, e mais importante, é o acordo ...

Veja mais

Gallo, Mamute, Macaco e Porco

Gallo, Mamute, Macaco e Porco

Nas últimas 2 semanas, em vários momentos, o André Rizek, no Redação Sportv, reclamava da imprensa esportiva, que não dava espaço pro Sul-Americano Sub-20. Ele ...

Veja mais

PostHeaderIcon Larissa, a Gata, Erthal

Parem as máquinas!! Tirem as crianças da sala!! Temos um reforço no time de Musas do Bola Parada. Um reforço de peso; peso certo, obviamente. E todo o resto é certo, sob qualquer ângulo de visão. Falo da Larissa Erthal.

A primeira vez que vi a Larissa foi nos primórdios do Esporte Interativo. Ela fazia uns merchans e aparecia um pouco nos programas normais. Mas foi o suficiente pra me convencer. Era gata! É gata! Muito gata! Tanto que publiquei fotos da Larissa em duas oportunidades, num site que tive. E agora a Larissa tá de volta. Sua beleza justifica totalmente a presença na nossa seção de musas do esporte (e mídia esportiva). Ela nem precisa entrar nas bobagens e armações do Cabeção pra se destacar. Na verdade ela não precisa fazer força alguma. Vejam as fotos e digam se estou errado:

Share Button

PostHeaderIcon Conceitos Pela Metade

Em tudo no mundo, o rótulo é muito importante para se definir algum produto. Através dele podemos já ter uma ideia de como é algo, temos assim uma noção. Porém rotular pessoas e seus estilos é muito mais complicado. No futebol um rótulo que perdura por muito tempo é o que diz que o Brasil sempre se sobrepõe aos adversários graças ao seu futebol “diferente”, com muitas fintas e dribles, cheio de habilidade. Nos últimos tempos temos visto isso com cada vez menos frequência.

Primeiro pois o Brasil continua com seu jeito de “tentativa e erro” na hora de arrumar suas equipes. Não existe uma maneira de jogar definida na maioria das equipes, tudo é mudado conforme o resultado e não por uma convicção por parte de quem treina. A Copa do Mundo foi o grande exemplo disse, com jogadores entrando no time baseados em poucas atuações, como no caso do Fernandinho. Segundo devido à outro fator.

O ex-jogador e grande comentarista Tostão disse em uma de suas últimas colunas (AQUI) que o Brasil tem formado cada vez menos jogadores habilidosos e técnicos. Habilidade como sendo essa “ginga” que parece (para os ufanistas) só brotar por aqui. E técnica relacionada ao domínio dos fundamentos e táticas do jogo. Acredito que ele tenha exagerado um pouco na questão da habilidade, mas fica cada vez mais claro que, apenas com ela, não voltaremos a ter um futebol de maior qualidade, com aquilo que sonhamos e julgamos ser o ideal. seleção sub-20 bola parada

A questão da técnica também vai muito de quem forma e escolhe a maneira da equipe atuar. E vimos um exemplo disso no último Campeonato Sul-Americano Sub-20. Em termos de posicionamento, em tese, antes do Campeonato, tudo estava teoricamente bem. O treinador Gallo, que chegou à Seleção praticamente sem currículo para tal, escolheu a formação da equipe da maneira que quis e o resultado foi pífio. Um time com muito mais força e vontade, mas com pouca estratégia e qualidade para reverter resultados adversos.

E isso é um retrato do que vemos no nosso futebol hoje em dia. Existe uma confusão entre imposição física e controle do jogo. Imagina-se que apenas com a força teremos um time mais inteiro em campo. Claro que o bom preparo físico é importante, mas achar que isso será a solução por si só é um engano, assim como apenas a habilidade e a nossa velha “malandragem” por si só. Os conceitos de troca de passe, posse de bola e compactação das equipes existem e até já viraram palavras bastante comuns por aqui, mas dentro de campo ainda vemos muito pouco disso de fato. Nem na Libertadores os times brasileiros estão sobrando, mas isso é assunto para outro dia…

Share Button

PostHeaderIcon Ladrões e Incompetentes

Não costumo perder tempo falando de arbitragens. Nem gosto quando os programas esportivos perdem horas analisando erros. E são tantos erros! Hummm… E esse debate é sempre parcial, só os comentaristas (ex-árbitros) falam. Os apitadores, terminada a partida, são levados para uma ilha longínqua e ignorada. É para proteger os senhores de preto. Uma proteção muito conveniente, pois nunca precisam explicar suas decisões e erros.
juizes e erros
Na semana passada o P. H. Ganso perdeu a paciência e, exageradamente, chamou o apitador de ladrão. Pronto, o apitador virou vítima e vai processar o Ganso. Como se a palavra ladrão, dita num momento num momento de exaltação futebolística, tivesse o mesmo significado após termos a carteira (com R$ 18,20) furtada. Mas a nossa justiça é tão apegada a dogmas e verdades teocráticas… Não duvido que o Ganso tenha que pagar (em Reais) por ofender o pobre árbitro.

Só não sei quando veremos um apitador condenado por ofender as regras e os fatos indiscutíveis. Certamente nunca. E vão continuar cometendo erros grosseiros e absurdos, como os cometidos neste início de ano. E nos Estaduais a camisa pesa mais que em outros torneios. Isso turva a visão do apitador maluco. Maluco sim, pois só assim pra se marcar um pênalti num jogador que estava fora de campo – Robinho do Santos, contra a Portuguesa. É inacreditável! Quase tanto quanto o árbitro de Vasco X Fluminense, que conseguiu errar tudo. Ou o apitador de Ituano X Corinthians, que errou feio nos 2 gols, um de cada time.

Espero que algum poder sobrenatural melhore o nível da nossa arbitragem. Não precisa melhorar muito, basta ficar com nota 4 ou 5. A atual é 2. Esperar uma mudança radical e profunda na arbitragem é uma grande utopia. E eu já passei dessa fase.

* * * * *

O clássico carioca foi o primeiro do ano. Uma coisa horrível, pra se apagar. Ou pra se guardar como um péssimo exemplo. Fizeram tudo errado. Começando pelos cartolas estúpidos. Terminaram levando o jogo pro estádio Nilton Santos, para 8.000 espectadores. Os bandidos das organizadas seguiram o embalo e passaram o domingo brigando nos arredores. Mais de 100 foram detidos; mas logo estarão soltos pra mais vandalismo. O jogadores de Vasco e Fluminense fizeram quase o mesmo dentro de campo. E o juiz completou a obra, totalmente perdido e incompetente para controlar a situação. Um lixo!!

Por outro lado, no Paraná e Rio Grande do Sul, os rivais tentam se entender e reverter esse quadro caótico. A ideia é afastar os marginais e manter a rivalidade sadia. Espero que funcione.

* * * * *

O futebol é uma mãe. A frase é surrada mas se aplica ao jogo de ontem, onde o Robinho “arrebentou” a Lusa. No lance do primeiro gol, o jogador da Portuguesa mais próximo estava em Presidente Prudente. No pênalti, já falei, o Robinho estava fora de campo. E nos demais lances… A defesa da Portuguesa foi pífia e patética!

Mas o pior foi assistir o Troca de Passes. Parecia que o Robinho havia vencido a Copa do Mundo sozinho. O Ricardo Rocha (salvo engano) se empolgou tanto que passou a comparar o Robinho com o Messi, Cristiano, Hazard e Neymar, pois ele desmontava as defesas, com dribles e velocidade. Alguém lembrou do Robben, mas o Rocha rebateu dizendo que este era mais velocista. Então tá!!! Menos mal que um outro debatedor, acho que o Rizek, disse que não lembrava do último jogo em que o Robinho havia arrebentado, talvez há mais de 2 anos. E é isso mesmo, o Robinho faz uma graça de 2 em 2 anos. E é o suficiente pra nossa imprensa boleira. Depois a gente leva de 7 e não sabe o motivo.

O futebol pode ser uma mãe, mas a realidade é madrasta.

Share Button

PostHeaderIcon Consistência x Insistência (e Algumas Cornetadas na Mídia…)

Não gosto de endeusamentos. Acho que todos os profissionais, por melhores que sejam, possuem seus defeitos. Mas temos de reconhecer quando alguém se destaca em meio aos demais e mostra que o seu trabalho tem algo de bom. Falo do trabalho de Tite no Corinthians. Depois de passar um tempo parado, fato que até já repercuti AQUI, inclusive criticando esse retorno por poder ser prejudicial à sua carreira, ele retorna ao seu ex-time e mostra que possui uma ideia clara do que fazer em campo, mesmo com pouco tempo nesse novo trabalho. E isso foi visto no jogo desta quarta contra o São Paulo. muricy tite bola parada

Como disse no começo, não falo isso para endeusar o treinador gaúcho. Depois de fazer do seu time fazer o primeiro gol, ele recuou até excessivamente, dando um espaço perigoso para o Tricolor (ainda que ele tenha sido pessimamente aproveitado). Mas a estratégia de jogo tinha uma lógica e contava com as peças certas em seus locais corretos. Jogando com um volante mais fixo (Ralf) e outro que desarmava e armava (Elias), o time tinha força defensiva no meio. Contando com meias (Jadson e Renato Augusto), que se movimentavam e ajudavam na recomposição e um atacante (Emerson) que também ajuda na marcação, o meio-campo do time era bem compacto. Some-se a isso a presença de Danilo, um meia mais avançado, que não jogava como “falso 9” e sim como uma referência destinada a abrir espaços para quem vinha de trás. Assim saiu o primeiro gol do Corinthians e poderiam ter saído outros.
Nada do que Tite fez é novidade, mas trabalhar o time para atuar de forma compacta e organizada é um grande mérito, ainda mais analisando o que foi feito do outro lado do clássico…

*****

Pode-se dizer que o segundo gol corinthiano foi ilegal, derivado de uma falta de Emerson em Bruno, o que mancha uma arbitragem que vinha até se portando bem até então. Porém isso não anula a boa partida do time da casa e a partida fraquíssima dos comandados de Muricy Ramalho. Também é preciso lembrar que a tão falada “opção de velocidade”, tão pedida pelo treinador são paulino (Centurión), não podia entrar em campo, suspenso. Além disso Pato, por questão contratual, também ficou fora. Mas porque não tentar Boschilia ou Jonathan Cafu que estavam no banco?

Mas pior do que isso são as insistências (ou teimosias? ou muletas?) que o treinador continua usando na equipe. Depois de quase ser beatificado após ser vaiado num jogo do Campeonato Paulista, Maicon foi escalado no time titular. Com ele continuaram os toques para o lado, a lentidão e a falta de pegada no meio campo. Luis Fabiano, inexplicavelmente idolatrado pela torcida, não sai de campo por nada…Enquanto isso, o sacrificado Alan Kardec, jogando fora de sua posição, sai depois de ao menos tentar aparecer para o jogo…Nem falo tanto da escalação de Michel Bastos na lateral-esquerda, perdendo assim uma opção de meio-campo ofensivo, pois no lugar dele entraria o pífio Reinaldo (e o segundo gol do Corinthians mostra porque ele tem de ser reserva…). Mas isso mostra que o elenco são-paulino possui algumas carências que o treinador não tem conseguido resolver.

Claro que a competição ainda está no começo, mas o São Paulo precisa melhorar demais para não passar mais um sofrimento na fase de grupos, como aconteceu em 2013. O Corinthians parece mais inteiro, mas tem de se cuidar também, pois agora faz dois jogos fora de casa.

*****

Assisti ao jogo pela Fox. Gostei da transmissão. Gustavo Villani e PVC fazem uma boa dupla, apesar da presença do tal “analista de arbitragem”. E isso só mostra como a ESPN tem perdido nos últimos anos…Mas vou fazer uma crítica. É um assunto complicado, que até merece uma coluna maior, mas vamos lá. foxsports1

Como tem sido padrão nos últimos jogos entre São Paulo x Corinthians, a torcida alvinegra sempre grita “Bicha!” quando o Rogério vai bater um tiro de meta. Depois de ignorar o assunto por todo o primeiro tempo, na segunda etapa o Villani diz que a torcida está “pegando no pé” do Rogério. Obviamente não é o caso. Brincar com o São Paulo com essa coisa de masculinidade é uma besteira, mas é algo meio que aceito, até mesmo por alguns jornalistas, que gostam de jogar indiretas com isso.

Não sou da turma do politicamente correto, mas esse é um xingamento direcionado. E fico imaginando se a torcida, por exemplo, do São Paulo, chamar um jogador do Corinthians de “maloqueiro” ou coisa pior, relacionando à um estereótipo que é usado contra os corintianos. Será que a imprensa iria fingir que não escuta ou teríamos uma repercussão maior? Não sei se é o caso de uma punição, mas penso que não deveria passar tão batido…

Assim como o caso dos ônibus para a torcida são paulino poder ir até o estádio em Itaquera. Parece que descobriram só agora que existe relação dos clubes com as torcidas organizadas, já que o Carlos Miguel Aidar resolveu atender um telefonema de um dos chefes da “facção torcedora” ao vivo e a cores. É evidente que isso é errado, uma parceria que financia confusões e acoberta crimes. Mas nesse caso existe um problema maior, que pouco foi debatido, que é o péssimo sistema de transporte público para quem volta dos estádios, ainda mais em jogos no horário das 10 da noite.

Muitas vezes a discussão que acontece na mídia na verdade encobre a discussão que deveria acontecer de fato.

*****

A respeito do que o Marco disse na coluna passada sobre a ESPN contratar “embaixadores” para a Libertadores. Concordo 100% com que ele escreveu, mas vou acrescentar algumas coisinhas. Primeiro que passa o recibo de uma certa imitação ao Sportv, que loteou sua cobertura da Copa com ex-atletas, alguns muito fracos como comentaristas. Segundo, “embaixadores” para ficarem apenas cobrindo o pré e o pós jogo cheira a desperdício de dinheiro. Não seria melhor diversificar a programação um pouco? espn+ bola parada

Terceiro é que nem conseguem dividir em igualdade a participação desses ex-jogadores. Para que ter mais ex-atletas do Corinthians e do Cruzeiro em detrimento dos outros clubes? Até porque, penso que colocaram esses “embaixadores” para tentar diminuir uma impressão de que o nível do canal está cada vez mais parecido com o da Bandeirantes…Então colocaram o Raí para tentar diminuir um certo “corinthianismo” nos novos contratados. Para contrabalançar o Sorín, que a torcida do Atlético/MG não tolera, trouxeram o Marques. É um populismo para fazer comentários e tentar não desagradar ninguém, quando na verdade escamoteiam preferências de alguns…

Fico pensando no Campeonato Brasileiro. Será que trarão 20 ex-jogadores, um para cada time? Enquanto isso a qualidade do canal cai a olhos vistos. E não será com essa tentativa de agradar torcedores, trazendo ídolos do passado, que o canal poderá melhorar.

Share Button

PostHeaderIcon Bons e Maus Exemplos

Vou aproveitar estes dias de ócio momesco e tratar de alguns fatos envolvendo futebol e administração esportiva. O primeiro, e mais importante, é o acordo entre dois canais de TV e a Premier League. Serão mais de 5,1 bilhões de Libras por 3 temporadas. Transformando em Reais, dá aproximadamente R$ dinheiroPRAcaramba,00. É 20 vezes mais do que nossos clubes recebem da Gorda. Mas essa comparação é injusta – prefiro fazer outra. O último colocado do Inglesão vai receber o mesmo que o poderoso Real Madri, 140 milhões de Euros. E o mais importante, o campeão inglês vai receber uns 200 milhões, não 10 vezes mais. Já falei sobre isso e mostrei os gráficos em um post antigo.

Essa generosidade com os clubes menores não é um favor ou caridade. Ela faz parte do projeto de uma liga equilibrada e competitiva. Serve de lição pros espanhóis, pros brasileiros e pra qualquer campeonato. Um campeonato desequilibrado perde, e muito, em atratividade.

* * * * *
nba
Outra liga que dá exemplo de gestão é a NBA. O objetivo nítido é internacionalizar a competição. Fizeram incursões na Ásia, Europa, e agora pelo Brasil. Ainda cogitam incluir clubes europeus na liga. Não é algo simples, mas… Outro foco da NBA é ampliar a exposição. Tanto que fecharam um acordo com o Sportv, que valerá por 6 anos. Será um salto significativo no mercado brasileiro. E a lógica comercial não erra: mais visibilidade = mais venda de passes, mais patrocínios, maiores cotas de TV, mais produtos comercializados…

Pra quem acha que uma liga só serve pra brigar com uma federação…

* * * * *

Outro dia o Bayern meteu 8 no Hamburgo. E vai passeando na Bundesliga. Será novamente campeão. Sua supremacia na Alemanha é gigantesca e até perigosa (pra competição). O “curioso” é que não aparece ninguém por lá querendo mudar o formato do campeonato e instituir o mata-mata. Se “sesse” num certo país tropical…

Devo ser muito estúpido, pois não consigo ver tanta vantagem no formato de mata-mata. As copas (nacionais e continentais) já ocorrem assim. Em todo o planeta. Precisam ser assim e assim é feito. Mas só aqui querem transformar o campeonato nacional num torneio de mata-mata. É capaz que consigam, mas continuo achando um erro brutal. O problema do Brasileirão não é por ser em pontos corridos. O mesmo vale pra conversinha de adequar nosso calendário ao europeu. Não vai resolver nada!

* * * * *

Vocês conhecem a BanDisney? Pois esse vai ser o novo nome da ESPN. Vai ser uma Band fechada. Só assim pra entender o time de veteranos que o Palomino tá contratando. Tem o Zé Elias, Sorin, Alex, Rincon, Raí, Marques, Iarlei… Tô sentindo a falta do Vamp e do Amaral. Mas é certo que o Palomino vai reforçar seu elenco. E depois que a ESPN falir, ele poderá formar uma seleção de masters, igual aquela do Luciano do Valle. Dá até pra criar com campeonato, jogando contra o time da Gorda/Sportv e o da Band.

O mais vergonhoso é ver que muitos telespec gostam e apoiam a presença de tantos ex-boleiros travestidos de comentaristas. Não tá fácil ver esporte na TV. Tá insuportável!

Share Button

PostHeaderIcon Gallo, Mamute, Macaco e Porco

Nas últimas 2 semanas, em vários momentos, o André Rizek, no Redação Sportv, reclamava da imprensa esportiva, que não dava espaço pro Sul-Americano Sub-20. Ele tinha razão. Mas a imprensa também tinha seus motivos. Começando pela absoluta falta de craques (ou promessas) nessa seleção. E terminando pela não exibição em TV aberta.

Mas o problema é muito maior e profundo. A base, em praticamente todos os clubes, é precária. Não cumpre sua função básica: formar jogadores. Tá loteada, muito mais que os times principais. A seleção (sub qualquer coisa) é reflexo dessa situação. Mas também não é só isso. O Alexandre Gallo já mostrou ao que veio. É fraco e insiste num futebol de força e correria. Não só neste Sul-Americano, mas em todas as competições onde comandou a seleção. Até naquelas que venceu, como 2 torneios de Toulon.

O resultado do Brasil no Sul-Americano Sub-20 foi pífio, um 4º lugar. E o futebol apresentado foi pior ainda. Totalmente desanimador. Sinal de um futuro sombrio. E de que ficaremos dependentes do Neymar por muito tempo. Mas é mil vezes melhor depender do Neymar que esperar algo do Mamute. Pois o Mamute é o símbolo dessa seleção do Gallo. Ele esteve em todas as convocações do Gallo. Se alguém souber o motivo… Eu não sei. Também não sei quais eram os 11 titulares. Talvez nem o Gallo possa responder isso.

Se o Brasil deu vexame em campo, fez pior fora. Tivemos mais casos de xingamentos racistas contra nossos jogadores. Alguns torcedores uruguaios repetiram o já “tradicional” grito de “macaco”. A CBF não fez nada contra as ofensas. Ficou com “medinho”. E a Conmebol… Ah, essa a gente já sabe que não pune ninguém. Ficou por isso mesmo. Fomos duplamente humilhados: macacos e mamutes. Talvez, em breve, os torcedores adversários passem a nos xingar de mamutes. Mas aí eles terão razão.

* * * * *

charge palmeirasNada representa melhor o Palmeiras que uma montanha russa. Ano passado o clube estava nas profundezas do futebol e das dívidas. Neste ano, embalado pelo Avanti (programa de sócios) e por quase 20 contratações, o clube virou exemplo de administração. Daí perdeu pra Ponte e Corinthians. E a imprensa boleira passou a questionar se tá tudo azul, ops, verde.

Muita calma nessa hora. O Palmeiras de 14 não serve de referência. Ano passado fizeram tudo errado, dentro e fora de campo. O clube só não foi rebaixado pelo (de)mérito de outros concorrentes. Tanto que o elenco foi quase inteiramente reformulado. Alguns são reforços. Outros são o que eu chamo de “esforços”.

É óbvio que o time atual é melhor que o do ano passado. Também é sabido que alguns concorrentes decaíram. Mas ainda existe um bom espaço entre o Palmeiras e os principais clubes do país. Talvez possa beliscar o Paulistão, especialmente pelo SPFC e SCCP estarem focados na Libertadores. No Brasileirão a coisa muda muito.

Também é bom ir devagar na gastança do dinheiro do programa de sócios e a receita do Allianz Parque (que vai crescer gradualmente). O Palmeiras deve muito, começando pelos quase 100 milhões que o Nobre emprestou. Tomem o Santos como (mau) exemplo.

Share Button
Página 1 de 4212345...102030...Última »



  • Enquete

    • Qual clube brasileiro tem mais chance na Libertadores?

      Veja Resultados

      Loading ... Loading ...